Resenha #16 - O Poeta que Fingia - Álvaro Cardoso Gomes

09 dezembro 2015

Título: O Poeta que Fingia
Autor: Álvaro Cardoso Gomes
Editora: FTD
Ano: 2010
Páginas: 288
Para saber mais: Skoob
Sinopse: Nessa história, o poeta Fernando Pessoa torna-se um personagem por meio da imaginação do menino João Fernando. Órfão de mãe e traumatizado pela relação complicada com o pai, o garoto vê o poeta como um pai espiritual, que abre seus olhos para vida e o insere no mundo da poesia.Grande parte das falas de Fernando Pessoa na história são inventadas, sendo algumas baseadas em registro em cartas ou em diários. Outras são retiradas de poesias suas ou de seus heterônimos. Assim, o livro não somente estuda a obra deste grande poeta, mas também, revela sua importância na literatura mundial.



Sobre o livro

Em O poeta que fingia vamos conhecer Fernando Pessoa, um jovem calado que mora com a tia em Lisboa, escreve poesias e tem poucos amigos. E João Fernando, um menino órfão de mãe e muito solitário, que ama ler poesias.

A história começa contando a infância de Fernando Pessoa e a ida de sua família à África. Após anos, Fernando Pessoa vai passar as férias em Lisboa e decide ficar morando na casa de sua tia. Pessoa trabalha traduzindo textos em inglês e nas horas vagas vai a um botequim escrever suas poesias.

Em outra parte de Lisboa temos João Fernando, um menino carente, apaixonado por livros. Sua mãe, Dona Mariana, era muito dedicada. Lavava roupas para fora, já que seu pai Pedro de Alcântara não trabalhava. Ele preferia a companhia dos bêbados nos bares onde parava para tomar sua cachaça. João Fernando contava com alguém que ajudava muito a família: O tio Manoel Rosado. Quando este parte para trabalhar no Brasil e Dona Mariana morre, vitima de um derrame, seu pai o obriga a sair da escola e a trabalhar.

Então João Fernando começa a trabalhar no restaurante Martinho da arcada, do Senhor Pereira. E é lá que conhece Fernando Pessoa. Uma amizade nasce entre os dois. Em meio a passeios após o expediente, eles conversam sobre poesias. Fernando Pessoa apresentará seus poemas e as primeiras poesias escritas pelos seus três principais heterônimos, Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos, primeiramente ao João Fernando. 

João Fernando frequentará junto com Fernando Pessoa a primeira reunião para a publicação da revista Orpheu. Fará muitos amigos, os quais o ajudarão a se livrar de um pai abusivo e a realizar o sonho de morar no Brasil com o Tio Manoel Rosado. 


Capa e edição

   
O livro tem um tamanho pequeno, tipo edição de bolso, e traz um desenho de Fernando Pessoa na frente.

A edição está muito caprichada. São 25 capítulos que alternam entre Fernando Pessoa e João Fernando. O inicio de cada capítulo é marcado por uma imagem que remete aos acontecimentos do capítulo em questão.  Há muitas palavras e termos portugueses de Portugal, todos em negrito. Encontramos os significados no vocabulário ao final do livro. Entre um acontecimento e outro temos fragmentos dos poemas de Pessoa, nos quais Fernando Pessoa explica suas características. No final do livro, ainda temos Fotocronologia da vida e da obra de Fernando Pessoa.



Minha opinião


O livro tem como objetivo aproximar os jovens estudantes da obra de Fernando Pessoa, o que cumpre muito bem. Muito mais que uma simples biografia, esse modelo de apresentação do autor e de sua obra ficou perfeito para os estudantes. A narrativa é simples, porém muito rica.

A ficção e a realidade combinaram muito bem. A invenção de um personagem, João Fernando, que questiona os poemas, se encaixou perfeitamente no livro. É por meio de suas reflexões e conversas com o poeta que conseguimos ter uma ideia melhor do que se passava na cabeça de Fernando Pessoa. 

O romance aborda temas como ética, pluralidade cultural, trabalho, consumo e, claro, literatura. E, ao desenrolar, a história mostra que o garoto vê no poeta um pai espiritual, que abre seus olhos para a vida e o introduz no mundo da poesia.

Além disso, a história é muito bonitinha!
Super-recomendado para todos que amam poesia e/ou que querem saber mais sobre a obra de Fernando Pessoa.



Há metafísica bastante em não pensar em nada.
O que penso eu do mundo?
Sei lá o que penso do mundo!
Se eu adoecesse pensaria nisso.
Que ideia tenho eu das cousas?
Que opinião tenho sobre as causas e os efeitos?
Que tenho eu meditado sobre Deus e a alma
E sobre a criação do Mundo?
Não sei. Para mim pensar nisso é fechar os olhos
E não pensar. É correr as cortinas
Da minha janela (mas ela não tem cortinas).
O mistério das cousas? Sei lá o que é mistério!
O único mistério é haver quem pense no mistério.
Quem está ao sol e fecha os olhos,
Começa a não saber o que é o sol
E a pensar muitas cousas cheias de calor.
Mas abre os olhos e vê o sol,
E já não pode pensar em nada,
Porque a luz do sol vale mais que os pensamentos
De todos os filósofos e de todos os poetas.
A luz do sol não sabe o que faz
E por isso não erra e é comum e boa.
Metafísica? Que metafísica têm aquelas árvores?
A de serem verdes e copadas e de terem ramos
E a de dar fruto na sua hora, o que não nos faz pensar,
A nós, que não sabemos dar por elas.
Mas que melhor metafísica que a delas,
Que é a de não saber para que vivem
Nem saber que o não sabem?
«Constituição íntima das cousas»...
«Sentido íntimo do Universo»...
Tudo isto é falso, tudo isto não quer dizer nada.
É incrível que se possa pensar em cousas dessas.
É como pensar em razões e fins
Quando o começo da manhã está raiando, e pelos lados das árvores
Um vago ouro lustroso vai perdendo a escuridão.
Pensar no sentido íntimo das cousas
É acrescentado, como pensar na saúde
Ou levar um copo à água das fontes.
O único sentido íntimo das cousas
É elas não terem sentido íntimo nenhum.
Não acredito em Deus porque nunca o vi.
Se ele quisesse que eu acreditasse nele,
Sem dúvida que viria falar comigo
E entraria pela minha porta dentro
Dizendo-me, Aqui estou!
(Isto é talvez ridículo aos ouvidos
De quem, por não saber o que é olhar para as cousas,
Não compreende quem fala delas
Com o modo de falar que reparar para elas ensina.)
Mas se Deus é as flores e as árvores
E os montes e sol e o luar,
Então acredito nele,
Então acredito nele a toda a hora,
E a minha vida é toda uma oração e uma missa,
E uma comunhão com os olhos e pelos ouvidos.
Mas se Deus é as árvores e as flores
E os montes e o luar e o sol,
Para que lhe chamo eu Deus?
Chamo-lhe flores e árvores e montes e sol e luar;
Porque, se ele se fez, para eu o ver,
Sol e luar e flores e árvores e montes,
Se ele me aparece como sendo árvores e montes
E luar e sol e flores,
É que ele quer que eu o conheça
Como árvores e montes e flores e luar e sol.
E por isso eu obedeço-lhe,
(Que mais sei eu de Deus que Deus de si próprio?),
Obedeço-lhe a viver, espontaneamente,
Como quem abre os olhos e vê,
E chamo-lhe luar e sol e flores e árvores e montes,
E amo-o sem pensar nele,
E penso-o vendo e ouvindo,
E ando com ele a toda a hora.


38 comentários

  1. Oi Lê! Adorei o livro pelo fato de nos proporcionar mais conhecimento quanto a vida do autor. Anotei a dica e se tiver a oportunidade pretendo ler ♥

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  2. Oie, que livro bacana, gosto de histórias que nos levam a conhecer mais sobre o autor, parabéns pela resenha.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  3. eu já tinha ouvido falar nesse livro e sempre tive vontade de ler, pois gosto de Pessoa...

    preciso encontrar a edição pra fazer a leitura agora em 2016...
    adorei a capa do livro...

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Não conhecia o livro mas achei bastante interessante, principalmente por nos proporcionar a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre Pessoa.
    As ilustrações são lindas!
    Com certeza é um livro que irei ler se tiver oportunidade.
    Beijos.

    Li
    Literalizando Sonhos

    ResponderExcluir
  5. Oieee! Já escutei falar sobre esse livro, mas ainda não li a obra e confesso que tenho o maior interesse. Gostei da resenha e pretendo pesquisar mais sobre ele.

    http://luxuosoestilo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?
    Não conhecia esse livro ainda, mas confesso que ele não me interessou muito, então provavelmente eu não realizaria essa leitura.

    Beijos :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem?
    Não conhecia o livro e conheço pouquíssimo a obra do Fernando Pessoa...mas o livro é muito interessante e se tiver oportunidade lerei.
    Bjs

    http://a-libri.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Não achei muito interessante o livro, por isso não leria, mas a capa é linda e a sinopse é bastante instigante!

    Abraços e até!!

    http://lendoferozmente.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oiiie
    Não é bem o gênero que costumo ler mas adorei essa capa haha a resenha ficou ótima e vou indicar a minha amiga que amaaaa poesia

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Que livro interessante, eu gosto do Fernando Pessoa. Essa capa tá bem legal também. Vou dar uma olhada depois *-*

    ResponderExcluir
  11. Olá. O livro parece ser muito interessante para os que curtem poesia. Eu não sou muito chegado e talvez não compraria o livro, mas quem sabe se alguém me der de presente de natal rsrs
    A resenha ficou ótima e o seu blog é muito bonito, estou seguindo ;)
    Beijos

    Academia Literária DF

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bem?
    Eu amo poesia e acho que vou gostar desse livro. Não o conhecia, mas já anotei a dica. A capa é muito linda e sua resenha me animou a ler. E também é um belo presente para ganhar, então vou dizer por aí que quero de presente de aniversário.. Rsrsrs.

    Beijos
    Leitora Sempre

    ResponderExcluir
  13. Oii,

    Poxa que livro bacana, gostei bastante da sinopse e estou bem curiosa para ler.
    Parabéns pelo post.

    beijos

    ResponderExcluir
  14. Oee,
    Me interessei de cara já pela sinopse, e depois fui me encantando por todo o resto do livro. Com certeza vai entrar aqui para lista.

    Beijoos!
    http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Pq não existiam livros assim qndo eu estava na escola? teria sido bem mais interessante, e eu ão teria um pé atras com poemas.
    A proposta é ótima, mais um para a lista.

    ResponderExcluir
  16. Olá, não achei que o conteúdo do livro, faça meu gênero, livros assim creio que você precisa conhecer sobre o personagem/pessoa sendo que neste caso não entendo muito da história dele.
    Angel Sakura
    www.euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
  17. Oi Leticia, eu não conhecia a obra ainda, mas confesso que não chamou minha atenção ,eu não leria no momento, mas quem sabe mais para frente posso dar uma chance!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  18. que obra incrivel, eu queria muito ler ela mas é dificil de encontrar =/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! é difícil. Eu ganhei. só por isso mesmo!
      Bjus! ❤

      Excluir
  19. Oii!

    Não curto muito poesia, pois não as entendo haha
    A sua resenha ficou ótima, mas irei deixar essa dica passar :/

    Beijos, Amanda
    www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir

Oi pessoa leitora, fico muito feliz com sua visita. Não esqueça de deixar um comentário me contando o que achou do post e do blog!

Dicas e opiniões são sempre bem-vindas!

Obrigada pela visita e volte SEMPRE!!