Resenha #56 - Guerra do Velho - John Scalzi

04 outubro 2016

Título: Guerra do Velho
Título Original: Old Man's War
Série: Guerra do Velho #1
Autor: John Scalzi
Editora: Aleph
Ano: 2016
Páginas: 368
Para saber mais: Skoob
Sinopse: A humanidade finalmente chegou à era das viagens interestelares. A má notícia é que há poucos planetas habitáveis disponíveis – e muitos alienígenas lutando por eles. Para proteger a Terra e também conquistar novos territórios, a raça humana conta com tecnologias inovadoras e com a habilidade e a disposição das FCD - Forças Coloniais de Defesa. Mas, para se alistar, é necessário ter mais de 75 anos.




Guerra do velho é o primeiro livro de uma série, com o mesmo nome, de ficção científica do autor John Scalzi. A saga está sendo publicada no Brasil pela Aleph. O segundo livro, Brigadas Fantasmas, será publicado em 2017 pela editora.

Pelo que vi, pesquisando sobre o livro, que foi publicado lá fora em 2005, além de seis livros o autor escreveu contos que se encaixam entre algumas das histórias. A série: 1 - Guerra do Velho, 1.5 - Questions for a Soldier, 2 - Brigadas Fantasmas, 2.5 - The Sagan Diary, 3 - The Last Colony, 4 - Zoe's Tale, 4.5 - After the Coup, 5 - The Human Division, 6 - The End of All Things.

Depois de tudo que li na minha vida, considero Guerra do velho a minha primeira ficção cientifica. Mesmo que eu já tenha lido alguns livros que possam se enquadrar no tema, é a primeira vez que vou para o espaço e encontro alienígenas. :)


Sobre o livro

No futuro, os humanos povoam outros planetas além da Terra. Para achar mundos habitáveis, o exército Forças Coloniais de Defesa (FCD), que além e conquistar esses novos territórios, protegem os que já estão colonizados por humanos, de possíveis ataques alienígenas.

Contudo, para entrar para a FCD é necessário ter mais de 75 anos. John Perry, ao completar a idade mínima, toma a decisão de se alistar. Sua esposa já faleceu e ele está sozinho. Assim, acredita que, como tem pouco tempo de vida, nada melhor do que ir conhecer o espaço e, quem sabe, ganhar mais uns anos de vida.

No dia da partida, Jonh e outras centenas de voluntários partem para o espaço, onde terão treinamento pesado e passarão por transformações para um melhor desempenho na guerra. Esses voluntários sabem pouco ou nada sobre o lugar que estão indo, o que vão fazer e como viverão. O contrato tem validade de 10 anos e, após, poderão viver numa das colônias destinadas a soldados de guerra. Eles nunca poderão voltar à Terra.

Com isso, eles têm que conquistar mundos, adaptar-se à nova realidade e tentar sobreviver nesse espaço cheio de alienígenas.


Capa, edição e narrativa

A ilustração da capa está perfeita. Consegui imaginar os Consu iguais à capa. A diagramação está perfeita. Gostei muito do fato de o recuo a esquerda ser maior. Isso de certa forma facilitou a minha leitura.

O livro é dividido em três partes: a primeira é os últimos dias de Perry na terra até seu treinamento; a segunda é as batalhas contra os alienígenas de outros planetas e a terceira, com os momentos de maior tensão e o desfecho dessa trama. Isso tudo somam 18 capítulos.

Com a escrita em primeira pessoa, acompanhamos na visão do protagonista, John, todas as descobertas sobre o espaço e sobre esses novos mundos. A escrita de John Scalzi é leve, fluida e tem um toque de humor. Mesmo nos momentos mais parados da narrativa, fiquei pressa à leitura.

Minha opinião

Para uma iniciante em Sci-fi, acho que fui muito bem, já que nesse universo tudo é novo para mim. Explorar outros planetas pode não ser nenhuma novidade, mas eu achei tudo incrível. A trama é muito bem elaborada. Muitas perguntas ficam no ar, mas como o livro é o primeiro de uma série, acredito que, futuramente, tudo será esclarecido.

Gostei muito das cenas de ação, a maioria bem tensa, mas todas bem compreensíveis e de fácil entendimento. Consegui visualizar bem as batalhas, os planetas e os alienígenas. As raças alienígenas criadas pelo autor são bem distintas, desde seres tipo humanos minúsculos à alguns que lembram insetos gigantes. 

O que eu mais gostei e que Scalzi não mostra o humano como o maior e mais inteligente ser do universo. Esse paradigma, bem americano, diga-se de passagem, é quebrado com os Consus, seres inteligentíssimos, que possuem um sistema tecnológico ultra avançado, uma logística de guerra bem elaborada e organizada, que até parece um ritual religioso.

A tecnologia é super avançada. Armas e transportes desenvolvidos e poderosos para essa realidade. Cada soldado possui um BrainPal (computador) na cabeça. O mais legal é que eles podem nomear o BrainPal com qualquer nome. A interação de John com a sua inteligência artificial é alguma vez vezes cômica.

Minha única crítica vai no fato de o autor trazer um protagonista de 75 anos, mas não explorar isso mais a fundo. Na verdade, depois que seu corpo passa por algumas mudanças, esquecemos que John é “velho”, a não ser nos poucos momentos em que ele cita isso. Contudo, o autor consegue levantar questões bem relevantes sobre velhice e sobre como nossa idade pode influenciar nossas escolhas e em nossas atitudes.


Desde o início da narrativa, vemos questões sobre a realidade humana, como honra, ética e respeito, aliadas as relações políticas, sociais, raciais e ao verdadeiro motivo que lavam à guerra.  

O personagem principal, John Petry, é dedicado às questões da guerra, preocupado com todos e muito seguro de si. Acaba fazendo um papel de “fodão”. Mas tenho que confessar que ele é divertido e cativante, e é impossível não gostar dele.

Os personagens secundários também são ótimos e estão bem representados na trama. Alguns ganham destaque até a primeira parte, mas outros têm fundamental importância na história. Alan ganha destaque, por ser um personagem tão importante quanto o protagonista. Vira, em determinado momento da narrativa, o braço direito de Jonh. Ele é quem explica sobre realidade alternativa, universo paralelo e multiverso. (Não tenho matemática suficiente para isso. Hahahah!)

O autor teve como influência o livro Tropas Estrelares, de Robert A. Heinlein, que também é um romance de ficção científica militar. Mais um livro para a lista de desejados!

Guerra do Velho com certeza entrou para a lista dos meus queridinhos. Estou bem ansiosa para o próximo livro da série, Brigadas Fantasmas. Recomendo o livro para fãs de Sci-fi e para todos que, assim como eu, querem começar a explorar o universo!



9 comentários

  1. Olá Lê!
    Que liiiiiiiiiiindo ele todo aberto!
    Tenho bastante curiosidade em ler. Só desanima saber que ele é o primeiro de vários. Ando fugindo de séries literárias. Mas quem sabe um dia?
    Bjs

    EntreLinhas Fantásticas

    ResponderExcluir
  2. Nossa que capa linda e aberta então mias linda ainda, gostei de ver sua opinião sobre o livro, mas infelizmente ele não faz o meu gênero, não me vejo lendo, porem irei indicar a amigos que sei que vão aproveitar a leitura mais do que eu aproveitaria.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Sabe que eu não tinha dado muita atenção para o livro já que não curti muito a capa. Imaginava outra coisa da história, mas ao ler sua resenha fiquei curiosa e querendo muito conhecer melhor a história do livro. Pelo que você comenta sobre a obra, parece que é um ótimo modo de virar uma verdadeira fã de sci-fi.
    Interessante essa coisa de o protagonista ter 75 anos...
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  4. Adorei a capa! A História é muito boa, é um gênero que eu realmente gosto. Assim que eu terminara fila imensa que tenho para ler, começarei ele.

    http://www.literaturanews.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oii Lê, tudo bem?
    infelizmente dessa vez a obra em si não despertou meu interesse, mas parabéns pela sua resenha que ficou muito boa e a edição é um arraso.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. OOi!
    Do gênero eu costumo assistir a filmes, quase não li nada sobre, e esse me interessou. A premissa está muito interessante!
    E essa edição, nossa, parece que está maravilhosa!!

    Beijoos!

    ResponderExcluir
  7. oi ^^
    adoro esse gênero, apesar de que eu não leio tantos livros quanto gostaria.
    achei muito interessante o fato do personagem ter 75 anos, é uma pena que que seja tão explorado esse detalhe quanto você gostaria.
    gostei bastante da resenha. Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  8. Lê, que pena que o autor não explorou o protagonista muito a fundo, com certeza teria sido incrível.
    Apesar de ter gostado da sua resenha não leria porque não curto Sci-fi.

    ResponderExcluir
  9. Fazia um tempo que procurava uma resenha desse livro, pois me interessei pela premissa. Só acho que o autor realmente devia ter se aprofundando em um personagem com tantas história para contar, mas ele acertou em trabalhar sobre a velhice
    . Sua resenha me faz querer conhecer cada vez mais esse livro e vou buscar fazer isso logo.

    ResponderExcluir

Oi pessoa leitora, fico muito feliz com sua visita. Não esqueça de deixar um comentário me contando o que achou do post e do blog!

Dicas e opiniões são sempre bem-vindas!

Obrigada pela visita e volte SEMPRE!!