Resenha #72 - Mau Começo - Lemony Snicket

07 fevereiro 2017

Título: Mau Começo
Título Original: A Series of Unfortunate Events: The Bad Beginning
Série: Desventuras em Série
Autor: Lemony Snicket
Editora: Seguinte
Ano: 2016
Páginas: 152

Para saber mais: Skoob

Sinopse: Mau começo é o primeiro volume de uma série em que Lemony Snicket conta as desventuras dos irmãos Baudelaire. Violet, Klaus e Sunny são encantadores e inteligentes, mas ocupam o primeiro lugar na classificação das pessoas mais infelizes do mundo. De fato, a infelicidade segue os seus passos desde a primeira página, quando eles estão na praia e recebem uma trágica notícia. Esses ímãs que atraem desgraças terão de enfrentar, por exemplo, roupas que pinicam o corpo, um gosmento vilão dominado pela cobiça, um incêndio calamitoso e mingau frio no café da manhã. É por isso que, logo na quarta capa, Snicket avisa ao leitor: "Não há nada que o impeça de fechar o livro imediatamente e sair para uma outra leitura sobre coisas felizes, se é isso que você prefere".




Mau Começo é o primeiro livro da série Desventuras em Série. A saga, composta por 13 volumes, foi publicada, pela primeira vez no Brasil, em 2001 pela editora Cia das Letras. Agora, com o lançamento da primeira temporada da série no Netflix, a editora Seguinte, selo da Companhia dos Letras, relança os livros.

A Série: 1 - Mau Começo, 2 - A Sala dos Répteis, 3 - O Lago das Sanguessugas, 4 - Serraria Baixo-Astral, 5 - Inferno no Colégio Interno, 6 - O Elevador Ersatz7 - A Cidade Sinistra dos Corvos- O Hospital Hostil9 - O Espetáculo Carnívoro10 - O Escorregador de Gelo11 - A Gruta Gorgônea12 - O Penúltimo Perigo13 - O Fim.


 “Se vocês se interessam por histórias com final feliz, é melhor ler algum outro livro”.


Sobre o livro

Violet, Klaus e Sunny são crianças ricas, inteligentes e felizes. Até o dia em que um incêndio mata seus pais e destrói a casa deles. Como são menores de idade, eles passam a morar na casa do sr. Poe, o banqueiro responsável pela fortuna da família Baudelaire e por achar o parente mais próximo para cuidar das crianças até que Violet complete dezoito anos e possa ser a responsável pelo dinheiro da família.

Após alguns dias, os órfãos vão viver com seu novo tutor, o Conde Olaf, que ganha a vida como ator teatral. Quando chegam no bairro novo, eles conhecem a Juíza Strauss, uma simpática vizinha, que se dispõe a ajudá-los quando precisarem. Então, conhecem Conde Olaf, com uma estranha tatuagem de olho no tornozelo e com uma casa suja e cheia de ratos, ele não passa uma boa impressão às crianças. E logo no primeiro dia, ele mostra-se ser uma pessoa horrível, passando uma lista de afazeres aos órfãos. Isso se repete todos os dias, quando, antes de sair, o conde deixa uma nova lista de tarefas, como limpar, esfregar e fazer comida.

Os irmãos descobrem que o motivo que levou o terrível Olaf a adotá-los foi a grande fortuna que possuem e que o vilão está bolando um plano para colocar as mãos no dinheiro. Mas o que o Conde não sabe é que os irmãos estão dispostos a lutar com unhas e dentes contra ele. E assim tem início os problemas das crianças Baudelaire e do Conde Olaf.


Minha opinião

Uma das características únicas do livro é o narrador. Aqui temos o próprio autor contando-nos a história das crianças. Por isso, ele interrompe a narrativa várias vezes para fazer observações e comentários. Ele é tipo um investigador que passa as informações e as provas sobre o caso a seu editor. Suas intervenções não são nem um pouco neutras, vez ou outra sua opinião está presente. 

A escrita do Lemony é simples e envolvente. O que eu mais gostei no modo como o livro é narrado é o tom cômico que o autor dá aos acontecimentos trágicos. Parece que assim, a desgraça vivida pelas crianças fica menos pior. Outra coisa legal é que como Sully não fala, todos os sons feitos pela bebê são “traduzidos”. Além disso, ele explica algumas palavras que possam ser de difícil entendimento para o público infantil que lê o livro.

A parte física do livro é muito bonita e caprichada. Durante a leitura, há várias ilustrações, que ficam perfeitas na história. Como o livro é pequeno e as letras são grandes, é uma leitura muito rápida.

Os irmãos Baudelaire são crianças muito especiais, além de inteligentíssimas. Cada um possui uma habilidade especial, que usa com frequência na luta contra o Conde Olaf. Violet é a mais velha, com 14 anos, adora inventar coisas. Klaus, o irmão do meio, é viciado em leitura, por ter memória fotográfica, lembra de tudo que leu, sabendo assim um pouco sobre tudo. O que é muito útil na hora de elaborar planos contra o Conde. Sunny é uma bebezinha muito fofa. Com seus quatro dentinhos afiados adora morder. Habilidade muito útil na confecção dos instrumentos feitos pela irmã, Violet. Seus irmãos são os únicos que entendem seus balbucios. Gostei muito das crianças. São unidas e estão sempre se ajudando e apoiando um ao outro.

Conde Olaf é um vilão muito malvado, porém engraçado. Ele faz muitas coisas cruéis no decorrer da narrativa, porém alguns comportamentos estranhos divertiram-me em diversos momentos. A Juíza Strauss, apesar da sua boa vontade, não é de grande ajuda. O Sr. Poe cumpre bem o seu papel de “pateta”. Ele não consegue ver as maldades de Conde Olaf, mesmo que elas estejam acontecendo em baixo do seu nariz. Para ele tudo é normal e tem uma explicação. Chega a dar raiva!

Acompanhar as maldades do Conde Olaf e a luta das crianças é de certa forma até divertido. O livro vai além de um ótimo infantojuvenil que conta as desventuras de três irmãos, ele faz críticas à algumas leis da sociedade e que nem sempre elas são justas. Vou continuar a série com certeza!


Na parte de trás do livro há uma carta de Lemony Snicket ao leitor:
Caro Leitor,

Sinto muito dizer que o livro que você tem nas mãos é bastante desagradável. Conta a infeliz história de três crianças muito sem sorte. Apesar de encantadores e inteligentes, os irmãos Baudelaire levam uma vida esmagada por aflições e infortúnios. Logo no primeiro capítulo as crianças estão na praia e recebem uma trágica notícia. A infelicidade segue os seus passos, como se eles fossem ímãs que atraíssem desgraças.

Neste pequeno volume, os três jovens têm que lidar com um repulsivo vilão dominado pela cobiça, com roupas que pinicam o corpo, um incêndio calamitoso, um plano para roubar a fortuna deles e mingau frio servido como café da manhã.

É meu triste dever pôr no papel essas histórias lamentáveis. Mas não há nada que o impeça de largar o livro imediatamente e sair para outra leitura sobre coisas alegres, se é isso que você prefere.
Respeitosamente,
Assinatura.gif
Lemony Snicket


7 comentários

  1. Eu acho que já tinha ouvido falar dessa série (de livros), mas nunca dei muita bola. Agora com a série da Netflix eu fiquei bastante curiosa com a leitura. E realmente, parece algo bem divertido. :D

    ResponderExcluir
  2. Oi! Sempre cobicei ler essa série, mas confesso que me sinto um pouco temerosa de não me envolver muito com esse enredo por conter alguns estereótipos um pouco excessivos. Conde Olaf lembrou-me de Gargamel e o clima do enredo parece ser um filme da Sessão da Tarde. Bonzinho, mas cuja qualidade não está no imprevisível, infelizmente, e sim na narrativa. O narrador, por fim, foi o único elemento que realmente me chamou a atenção.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Lê,
    Tenho muita vontade de ler Desventuras em Série, mas toda vez que lembro que são 13 livros acabo desanimando.
    Beijos, André
    Garotos Perdidos || Participe do sorteio de 2 livros

    ResponderExcluir
  4. Oi Lê, eu não sei se vou ter coragem para ler os livros mas com certeza eu vou assistir a série!
    Beijos
    [SORTEIO] Aniversário de 1 Ano: Livro - Perdida
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  5. Ola, tudo bem?
    Eu já tinha interesse em ler Desventuras em Série, só que ultimamente venho tendo problemas com sagas :'( Mas com certeza lerei!
    Gostei muito da sua resenha!
    Beijos, Larissa (laoliphant.com.br)

    ResponderExcluir
  6. Oie como vai?
    Então... quando mais nova iniciei a obra mas não terminei porque né? deixei de lado kkk, mas com os anos fui tentando e não me adaptando, mas amo/adoro o filme. E concordo contigo, o narrador é uma parte muito boa do livro mas prefiro as''dicotomias'' dos personagens, se posso dizer assim.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Lê. Tudo bem?
    Não consigo entender se é pra essa série ser de comédia ou outra coisa. Não tenho vontade de ler os livros, mas quero assistir à série na netflix! Beijos <3

    ResponderExcluir

Oi pessoa leitora, fico muito feliz com sua visita. Não esqueça de deixar um comentário me contando o que achou do post e do blog!

Dicas e opiniões são sempre bem vindas!

Obrigada pela visita e volte SEMPRE!!