Resenha #96 - O Feiticeiro de Terramar - Ursula K. Le Guin

14 julho 2017

Título: O Feiticeiro de Terramar
Título Original: A Wizard of Earthsea
Série: Ciclo de Terramar #1
Autora: Ursula K. Le Guin
Editora: Arqueiro
Ano: 2016
Páginas: 176
Para saber mais: Skoob
Sinopse: Há quem diga que o feiticeiro mais poderoso de todos os tempos é um homem chamado Gavião. Este livro narra as aventuras de Ged, o menino que um dia se tornará essa lenda. Ainda pequeno, o pastor órfão de mãe descobriu seus poderes e foi para uma escola de magos. Porém, deslumbrado com tudo o que a magia podia lhe proporcionar, Ged foi logo dominado pelo orgulho e a impaciência e, sem querer, libertou um grande mal, um monstro assustador que o levou a uma cruzada mortal pelos mares solitários.



O Feiticeiro de Terramar, publicado originalmente em 1968, é o primeiro livro da série Ciclo de Terramar. O segundo livro, As Tumbas de Atuan, saiu este ano pela editora. Os próximos três livros da saga, A Praia mais Longínqua, Tehanu, o nome da estrelaO Outro Vento devem ser publicados anualmente pela editora Arqueiro.

Sobre o Livro

Na ilha de Gont, no arquipélago Terramar, vive Duny, um menino órfão de mãe e que mora com o pai. Um dia, ele escuta sua tia chamando uma cabra, mas as palavras usadas por ela são desconhecidas para ele. Curioso, ele decora-as, e, no outro dia, quando usa as palavras, consegue também controlar o animal.

Sua tia, que é uma bruxa, presencia a cena e, na hora, percebe que Duny tem poderes de feiticeiro. Com isso, ela decide treiná-lo, ensinando feitiços básico, e aos 12 anos ele já domina todos os feitiços que aprendeu. Quando sua aldeia é atacada por outro povo, o garoto usa seus poderes para salvar as pessoas do ataque, contudo a magia usada por ele é tão forte que o deixa com sequelas, que nem mesmo sua tia consegue curar.

Enquanto se recupera, a história de como Duny salvou a aldeia vai se espalhando entre outras ilhas. Até que Ogion, um mago muito poderoso, vai até sua casa para transformá-lo em seu aprendiz, assim que completar 13 anos. No dia de seu aniversário, quando está indo embora, Duny recebe um novo nome de seu mestre, agora ele será Ged.

Durante o tempo que fica na companhia de seu mestre, Ged acha que não está aprendendo nada. Sempre muito presunçoso e insatisfeito, ele vive reclamando que o mestre não ensina magia para ele. Até que um dia, o aprendiz encontra uma menina que o desafia a fazer um feitiço muito grande, com isso ele vê a possibilidade de mostrar seu poder. Contudo, algo dá errado, e ele acaba sendo atacado por uma sombra que parte para cima dele, Ogion chega na mesma hora, salvando-o.


Após o acidente, Ged decide ir para uma escola de Magos, em Roke, deixando assim seu mestre. Lá, Gavião, como decide ser chamado, faz um amigo, Vetch, e um inimigo, Jaspe. Sua relação com dois influencia nas suas atitudes dentro da escola, além disso, ele quer ser o melhor. Assim, mais uma vez sua arrogância fala mais alto, e, em um momento de raiva, para mostrar seu poder, Ged faz um feitiço que liberta de vez a sombra. 

Agora Gavião terá que lidar com as consequências de seu ato, fugindo  da sombra que o persegue ao mesmo tempo que luta para mostrar seu valor mostrando que autoconhecimento

"Para ouvir, deve-se estar calado..."

Minha Opinião

Uma das coisas que mais gostei no livro foi o sistema de magia, que é constituída através do uso de palavras. Porém para evocar o poder de algo através de palavras é necessário saber o nome de origem das coisas. Contudo, quando o nomes é o das pessoas, eles não devem ser revelados, por isso os magos tem uma especie de apelido. E assim que Ged escolhe ser chamado de Gavião. Além disso, há muitas coisas que não podem ser nomeadas ou seu nome "verdadeiro" ainda não foi descoberto. 

Outro diferencial nesta história é que ao começar a leitura já sabemos que o protagonista é um grande mago em Terramar. E na verdade vamos voltar no tempo e acompanhar toda a sua trajetória até ele se tornar esse grande mago, conhecido como Gavião. 


Ged foi um protagonista difícil de engolir. Egoísta, vaidoso, ambicioso e arrogante, só pensa em ser o mais poderoso e está sempre tentando provar que é o melhor. Sua vontade de aprender ultrapassa todos os limites, ele nunca pensa nas consequências de seus atos. Porém, conforme cresce, ele aprende com seus erros, mas nem mesmo depois disso consegui gostar dele. 

A autora ousou ao trazer um protagonista negro, assim como praticamente todos os outros personagens do livro. Contudo, isso não é explícito no livro, Ursula faz um ou dois comentários durante toda a narrativa, pois na época em que o livro for lançado, nos anos 60, o preconceito era muito forte. 

A edição do livro está muito bonita, logo nas primeiras páginas tem o mapa de Terramar, que por ser grande foi dividido em duas páginas, isso acabou escondendo entre o miolo do livro uma parte do mapa, o que dificultou na hora de procurar alguns lugares citados na história. No final, encontramos um posfácio, escrito pela autora, no qual ela conta os motivos que levaram-na a escrever o livro e quais foram suas motivações para criar o mundo, os personagens e a trama.

O livro é super curto, e, mesmo assim, a autora consegue mostrar uma boa parte da vida de Ged, sem enrolação. Vamos acompanhando seu crescimento com alguns intervalos de tempo, mas isso não dificulta o entendimento da história, todos os acontecimentos ficam muito claros. Apesar de ter uma escrita bem direta, Ursula abusa dos detalhes, o que deixou minha leitura um pouco mais lenta. 

Confesso que eu espera mais do livro. Acredito que Ged tenha um pouco de culpa na minha opinião final! O Feiticeiro de Terramar segue aquela linha que já conhecemos da "Saga do herói", com certeza é um livro que todo fã de fantasia deve conhecer!

Nenhum comentário

Postar um comentário

Oi pessoa leitora, fico muito feliz com sua visita. Não esqueça de deixar um comentário me contando o que achou do post e do blog!

Dicas e opiniões são sempre bem vindas!

Obrigada pela visita e volte SEMPRE!!