Resenha: Minha Vida Fora dos Trilhos - Clare Vanderpool

05 outubro 2017

Título: Minha Vida Fora dos Trilhos
Título original: Moon Over Manifest
Autora: Clare Vanderpool
Editora: DarkSide Books
Ano: 2017
Páginas: 320
Para saber mais: Skoob
Livro recebido em parceria com a editora.
Sinopse: Abilene Tucker tem apenas 12 anos, mas é corajosa e impetuosa o suficiente para encontrar aventuras na pequena cidade de Manifest, Kansas, um fim de mundo para onde seu pai a enviou de trem a fim de passar o verão sob a tutela de um velho conhecido enquanto ele trabalha em uma ferrovia. O que parecia ser o período mais solitário e entediante de sua vida ganha um novo e surpreendente rumo quando Abilene encontra uma velha caixa de charutos com cartas antigas e pequenas lembranças de outros tempos. Aos olhos curiosos da menina, a caixa se torna uma verdadeira arca do tesouro, onde segredos enterrados conectam dois momentos da cidade. A partir de então, o livro se divide em duas narrativas cronológicas: passado e presente se misturam, daquela maneira mágica que só um bom livro consegue contar. Os acontecimentos vão da época da Primeira Guerra Mundial à Grande Depressão norte- americana dos anos 1930, com soberba fidelidade histórica que ajudam a construir esta narrativa de perda e redenção.



Sobre o livro

Abilene Tucker, uma menina de 12 anos, é enviada pelo pai, que precisa trabalhar, para passar o verão na casa de um amigo de longa data, o pastor Shady, em uma cidade do interior do Kansas. O ano é 1936, e Manifest está sofrendo as consequências da Grande Depressão Americana, que teve início em 1929.

Na casa do pastor, a menina descobre, escondida sobre as tábuas do assoalho, uma caixa de charutos. Dentro, ela encontra alguns objetos e cartas que foram trocadas, durante a um período da Primeira Guerra Mundialentre dois amigos, Ned e Jinx. O conteúdo das correspondências é cheio de mistérios e faz referências aos objetos da caixa e a um misterioso espião que estava vivendo em Manifest nessa época.

Logo em seus primeiros dias, Abilene se vê presa a uma dívida com a Sra. evans, a vidente da cidade. Como pagamento, ela vai trabalhar ajudando, em algumas tarefas, a vidente. Além disso, parece que o tempo que o pai morou na cidade foi esquecido, ninguém fala dele, e ela sente que há um mistério envolvendo o tempo em que ele morou em Manifest.


Assim, com a ajuda de suas novas amigas, Lettie e Ruthanne, Abilene percorre a cidade buscando informações para desvendar os mistérios das cartas e juntando-as com as histórias narradas pela vidente, ao mesmo tempo que tenta encontrar o lugar do pai em todo esse misterioso passado da cidade e de seus moradores. Aos poucos, todas as histórias vão se interligando e fazendo sentindo, enquanto ela descobre mais sobre o pai e sobre ela mesma.

Minha opinião


Essa foi a minha primeira experiência com a autora, que já tem publicado pela DarkSide o livro Em Algum Lugar nas Estrelas, que fez o maior sucesso na época, e que eu não tive ainda o prazer de ler. Foi com base nos comentários positivos sobre esse livro que resolvi ler Minha Vida Fora dos Trilhos, que apesar de ser lançado esse ano aqui no Brasil é o primeiro livro de Clare Venderpool.

Eu achava que sabia algumas coisas sobre as pessoas. Tinha até a minha lista de universais. Mas agora estava em dúvida. Talvez o mundo não fosse feito de universais que podiam ser arrumados em pacotinhos perfeitos. Talvez só tivesse pessoas. Pessoas que estavam cansadas, magoadas e sozinhas, da sua própria maneira e no seu próprio tempo.

O livro possui duas linhas temporais, O passado, em 1917, na qual acompanhamos de três maneiras diferentes: por meio das cartas, de uma coluna de “fofocas” do jornal da época e das histórias contadas pela Sra. Evans; e o presente, em 1936, na qual acompanhamos Abilene conhecendo essas histórias e se adaptando a sua nova vida na cidade. Gostei muito do modo como a autora inseriu e apresentou os acontecimentos, além disso ela traz as duas narrativas dois importantes momentos históricos, a Primeira Guerra Mundial e a Grande Depressão Americana, porém Clare Vanderpool peca ao abordar esses temas de forma rasa e superficial.

A edição do livro está muito caprichada e bonita. Logo no início já encontramos um mapa do Kansas e da ferrovia que atravessa o país, além da lista com os nomes dos personagens cidadãos de Manifest, em forma de anúncio, nos anos de 1917/1918 e 1936.



Abilene é uma menina muito querida, determinada, corajosa e cheia de questionamentos, muito fácil gostar dela. Confesso que sua necessidade imediata de saber tudo sobre seu pai e o relacionamento dele com os moradores da cidade foi a parte mais chata do livro para mim. 

Como eu gostei muito mais da narrativa do passado, eu ansiei por saber mais sobre Manifest e seus moradores de 1917. Manifest é a típica cidade do interior com aquelas pessoas simpáticas e super informadas uma sobre a vida das outras, acredito que por isso todos os personagens, incluindo os secundários me encantaram tanto. Acabei ficando chateada por não saber mais sobre eles.


A escrita da autora é muito gostosa e flui muito bem. Para quem gosta de um bom infantojuvenil, que aborda temas, como amor, amizade e superação de forma simples, porém efetiva, e com um toque de mistério e aventura, Minha Vida Fora dos Trilhos é uma ótima opção. 


2 comentários

  1. Oie,
    Darkside é muito impecável, né? As edições além de lindas trazem ótimas narrativas. Recebi este livro mas ainda não fiz a leitura, fiquei ansiosa pela sua resenha!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Quando vi esse livro eu super quis ler ele, mas depois de algumas resenhas e opiniões de amigas que diziam que a obra era bem lenta e diferente do que prometia eu acabei desistindo.

    ResponderExcluir

Oi pessoa leitora, fico muito feliz com sua visita. Não esqueça de deixar um comentário me contando o que achou do post e do blog!

Dicas e opiniões são sempre bem-vindas!

Obrigada pela visita e volte SEMPRE!!