Resenha: Uma Proposta e Nada Mais - Mary Balogh

13 abril 2018

Título: Uma Proposta e Nada Mais
Título original: The Proposal
Série: Clube dos Sobreviventes #1
Autora: Mary Balogh
Editora: Arqueiro
Ano: 2018
Páginas: 272
Para saber mais: Skoob
Livro recebido em parceria com a editora.
Sinopse: Após ter tido sua cota de sofrimentos na vida, a jovem viúva Gwendoline, lady Muir, estava mais que satisfeita com sua rotina tranquila, e sempre resistiu a se casar novamente. Agora, porém, passou a se sentir solitária e inquieta, e considera a ideia de arranjar um marido calmo, refinado e que não espere muito dela. Ao conhecer Hugo Emes, o lorde Trentham, logo vê que ele não é nada disso. Grosseirão e carrancudo, Hugo é um cavalheiro apenas no nome: ganhou seu título em reconhecimento a feitos na guerra. Após a morte do pai, um rico negociante, ele se vê responsável pelo bem-estar da madrasta e da meia-irmã, e decide arranjar uma esposa para tornar essa nova fase menos penosa. Hugo a princípio não quer cortejar Gwen, pois a julga uma típica aristocrata mimada. Mas logo se torna incapaz de resistir a seu jeito inocente e sincero, sua risada contagiante, seu rosto adorável. Ela, por sua vez, começa a experimentar com ele sensações que jamais imaginava sentir novamente. E a cada beijo e cada carícia, Hugo a conquista mais – com seu desejo, seu amor e a promessa de fazê-la feliz para sempre.



Uma Proposta e Nada Mais é o primeiro volume da série Clube dos Sobreviventes. Na saga, vamos acompanhar sete amigos que se encontram uma vez por ano para superar traumas de guerra. Mesmo fazendo parte de uma série, os livros vão contar as histórias desses personagens de forma independente, por isso a leitura não precisa seguir a ordem de publicação. Serão sete livros, um para cada integrante do clube, a editora arqueiro já divulgou a capa e o título dos próximos dois volumes: Um Acordo e Nada Mais, que será publicado em setembro, e Uma Loucura e Nada Mais, que será publicado em janeiro de 2019.
Sobre o livro

Hugo Emes, depois de servir à infantaria inglesa, ganhou o título de Lorde Trentham pelos seus feitos de guerra. Há pouco mais de um ano, ele herdou os negócios do pai e foi morar longe do centro de Londres. Todos os anos, ele e mais seis amigos, integrantes do Clube dos Sobreviventes, encontram-se na casa de um dos membros do grupo na Cornualha, como forma de superar os traumas de guerra. Neste ano, Hugo conta aos amigos que está decidido a casar e ajudar sua irmã a arrumar um bom casamento.

Gwendoline, Lady Muir, viúva há muitos anos, está passando uma temporada na Cornualha, na casa de uma velha conhecida, ajudando-a a superar a morte do marido. Depois de uma discussão com a amiga, Gwendoline decide dar uma volta na praia para refrescar sua cabeça. E é nessa passeio que ela torce o pé e fica sentada no chão sem conseguir levantar-se por causa da dor no tornozelo.  

Hugo, que estava nesse momento na praia, leva ajuda Lady Muir levando-a para a casa do amigo. Depois da visita do médico, fica decidido que até a sua recuperação ela ficara hospedada ali e fará companhia ao membros do clube. Nessa convivência forçada Gwendoline e Hugo criam uma estranha relação de amizade.



Minha opinião

Esse foi meu primeiro contato com a autora da série Os Bedwyns, Mary Balogh. Desde o ano passado, estou me aventurando mais por romances de época, então assim, coloquei mais uma autora e mais uma saga a minha lista do gênero.

Aqui, a autora vai trazer dois personagens que carregam muitos sentimentos complexos sobre acontecimentos do passado. O ponto positivo do encontro entre esses dois personagens é a maneira que cada um vai ajudar o outro, quando compartilham suas histórias, seus demônios.


As pessoas compreendem a linguagem do coração, mesmo que a cabeça nem sempre consiga.

A escrita da Mary é bastante fluida e envolvente, contudo ela segue um modo mais sério ao contar a história. O que causou em mim estranhamento num primeiro momento, pois os livros do gênero que eu tinha lido anteriormente seguiam a linha mais cômica. A narrativa mais séria não foi um ponto negativo na minha opinião, pois gostei do modo como a autora desenvolveu a história, tudo aconteceu bem rápido. A maneira que o passado de cada personagem foi mostrado, ajudou muito a dar um tom mais dramático aos protagonistas.


Os personagens por serem mais velhos e já terem passados por situações difíceis são maduros e não ficam enrolando muito. Gwendoline é engraçada, delicada e muito segura de si, mesmo sempre lembrando do seu passado turbulento. A forma dela de lutar contra o amor que estava sentindo era quase que nula, pois muitas vezes ela pensava “não”, mas dizia “sim”, além disso quando estava certa do amor que sentia, ela resolve tentar sem muitas objeções. 

Hugo tem dificuldades de aceitar seu título e diz não gostar muito das pessoas que fazem parte da alta sociedade. Um homem que carrega uma culpa e que não tem papas na língua na hora de falar o que pensa, além de muito carrancudo. A relação dos dois é diferente e sem rodeios e o modo como eles conversam é muito peculiar e sincero.

A série Clube dos Sobreviventes começou mostrando que o amor é sempre possível e que a chance de recomeçar vale para todos. Fãs de romance de época vão adorar!


#DESAFIOHISTORICOSEEU3

2 comentários

  1. Oi, Lê.
    Eu já li os livros da Mary e sinto muita saudade das tramas dela. Não lembro dessa seriedade, mas faz tempo demais que li algo da autora que não tenho certeza mais de nada. Vou procurar ler essa obra, acho que irei gostar!
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
  2. A proposta do livro é bem bacana, os personagens tem personalidades muito distintas, o amor entre eles deve passar por alguns desafios, mais internos, onde um deve compreender e aceitar as diferenças do outro. Sem dúvidas que o livro traz um grande romance.

    ResponderExcluir

Oi pessoa leitora, fico muito feliz com sua visita. Não esqueça de deixar um comentário me contando o que achou do post e do blog!

Dicas e opiniões são sempre bem-vindas!

Obrigada pela visita e volte SEMPRE!!