Resenha: Onde as Mulheres são Reis - Christie Watson

01 maio 2018

Título: Onde as Mulheres são Reis
Título original: Where women are kings
Autora: Christie Watson
Editora: Bertrand Brasil
Ano: 2018
Páginas: 322
Para saber mais: Skoob
Livro recebido em parceria com a editora.
Sinopse: Elijah é um menino de 7 anos coberto de cicatrizes e com um histórico de comportamento problemático. Afastado de sua mãe biológica, uma imigrante nigeriana na Inglaterra, Elijah vai de uma família para a outra até encontrar um lar, mas, não consegue confiar em ninguém. Ele acredita que é mau, pois há um feiticeiro habitando em seu corpo, que causará desgraça a todos a quem vier a amar. O casal Nikki e Obi, tendo passado por três abortos espontâneos e perdido uma filha durante o parto, acredita que esteja na hora de adotar uma criança. Nikki trabalha com adoção de animais; Obi é um advogado dedicado a causas sociais. Eles logo descobrem aquele menino sério, descendente de nigerianos, como Obi, e necessitado de todo o amor que eles podem prover.  Nikki acredita que ambos serão fortes o bastante para aceitar e lidar com as dificuldades de Elijah. Eles amam o novo filho e, apesar de seus demônios, o menino começa a se adaptar a essa família carinhosa. Mas quanto mais Nikki e Obi descobrem sobre o passado tumultuoso e trágico de Elijah, eles precisam encarar os desafios que ameaçam abalar a paz — desafios que podem se provar desastrosos.




Sobre o livro

Elijah é um menino de 7 anos, muito sensível, cheio de traumas e que acredita que um feiticeiro mau habita seu corpo, levando-o a fazer coisas ruins para outras pessoas. Há dois anos foi tirado, por maus tratos, de sua mãe, uma imigrante nigeriana na Inglaterra, e desde então passa de casa em casa até arrumar uma família permanente. 

Nikki e Obi, depois de passarem por três abortos espontâneos e muito sofrimento, estão passando pelo processo de adoção a procura de uma criança. É assim que o destino (mais precisamente Ricardo, o assistente social) vai unir essas três pessoas. Mesmo com todos os avisos de que Elijah é uma criança que precisa de muito carinho, atenção e cuidados devido aos maus tratos vividos quando era muito pequeno, o casal decide ficar com ele.

Conforme o tempo passa, e o menino parece estar bem adaptado, o passado que nunca deixou de assombrá-lo volta mais forte do que nunca. Será que Nikki e Obi estão dispostos a amar o menino acima de tudo e estão preparados para a verdade de Elijah?


Minha opinião

O que me chamou a atenção quando li a sinopse do livro foi uma frase que falava sobre família. Eu adoro livros que tragam o contexto familiar como foco, pois sempre me emociono muito com esse tema. E como eu nunca tinha lido nada sore adoção, achei que o livro perfeito para um primeiro contato. Só posso dizer que não me decepcionei, o livro é pura emoção.

Christie Watson faz um trabalho delicado e minucioso com seus personagens. Nikki é uma mulher forte mesmo depois de tudo que passou com seus abortos. Tudo que mais quer é um filho, ela está disposta a se dedicar ao máximo para ter o que deseja. Obi é um marido muito atencioso e dedicado, também sofreu muito com os abortos da esposa. Conseguimos ver o tamanho de sua preocupação com o bem-estar de Elijah assim que ele chega na casa da família. Um casal cheio de amor para dar.

Era como se estar perto de Jasmin o tornasse mais forte. Ela não tinha medo de nada, nem do feiticeiro.

Elijah é um amor de menino. Sua felicidade quando ele não está preocupado com o feiticeiro ou a mama é encantadora. Sempre que ele tinha uma crise, eu me assustava, pois é difícil para uma mãe ou um pai ver o que está acontecendo dentro da cabeça de seu filho, por mais que se tente ajudar. Ele passou por muitos abusos físicos quando era pequeno, mas foram os psicológicos que ficaram mais marcados do que as cicatrizes. Acompanhar tudo que atormentava seus pensamentos foi muitas vezes revoltante, por vezes, senti raiva da mãe biológica dele, mesmo sabendo que ela de certa forma não teve culpa. 

A escrita de Christie é leve e envolvente, a narrativa em terceira pessoa é intercalada entre Nikki e Elijah, o que dá uma carga emocional muito pesada, pois como sabemos de tudo nossa vontade de ajudá-los é ainda maior. Além disso, há cartas de Débora, mãe biologia de Elijah, nelas ela vai contar sobre o nascimento do menino, a morte do marido e o dia que ele foi tirado dela. Tudo com uma carga de emoção muito grande.




Como eu não compreendo nada sobre adoção, e foi muito interessante acompanhar todo o processo que a criança e o casal interessado passam até o momento da adoção. A autora abordou temas, como abuso infantil, problemas mentais e diferenças culturais, de forma muito direta e delicada, contudo não evitou que eu me abalasse com alguns fatos.

Eu não sei colocar em palavras todos os sentimentos que tive lendo o livro, pois foram muitos. ME coloquei na situação daquela mãe, e apara cada acontecimento eu sentia algo diferente. A empatia e a realidade poucas vezes entraram em conflito, na maioria das vezes eu me via tomando as mesmas decisões. Conforme eu ia chegando no final da história, meu coração ficava cada vez mais apertado, eu só queria que tudo se resolvesse e que Elijah fosse a criança mais feliz do mundo.

Com um final que destruiu meu coração, (terminei o livro em lágrimas, muito emocionada/revoltada), Onde as Mulheres são Reis é um livro que fala sobre o amor: amor entre marido e mulher, pais e filhos, amigos, irmãos, mas a cima de tudo o amor pelo outro. Mais que indicado!



3 comentários

  1. Não dei muita importância para o livro, mas depois da sua resenha fiquei curioso, gostei muito da sua resenha.

    ResponderExcluir
  2. Deve ser um livro intenso e emocionante.
    Não conhecia ainda, mas também gosto de livro que fale de amor familiar, e aqui ainda tem a adoção, importante saber que o amor é o mesmo.
    Gostaria de ler.
    Desejo um MÊS de sucesso e bençãos!
    “Nunca confunda movimento com ação.” (Ernest Hemingway)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA MAIO – 4 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  3. Também adoro livros com temática familiar!!! E gostei demais de a autora ter intercalado as narrativas entre os dois personagens, pois dá para visão e profundidade para o livro! Já prevejo as lágrimas e as fortes emoções que eu vou ter com esse livro!!!

    ResponderExcluir

Oi pessoa leitora, fico muito feliz com sua visita. Não esqueça de deixar um comentário me contando o que achou do post e do blog!

Dicas e opiniões são sempre bem-vindas!

Obrigada pela visita e volte SEMPRE!!