Resenha: A Insustentável Leveza do Ser - Milan Kundera

13 janeiro 2018

Título: A Insustentável Leveza do Ser
Título original: Nesnesitelná lehkost bytí
Autor: Milan Kundera
Editora: Companhia das Letras
Ano: 2017
Páginas: 344
Para saber mais: Skoob
Livro recebido em parceria com a editora.
Sinopse: Neste que é sem dúvida um dos romances mais importantes do século XX, ficção e filosofia se entrelaçam por meio da história de quatro adultos capazes de quase tudo para vivenciar o erotismo que desejam para si. Como limite, encontram um tempo histórico politicamente opressivo e o caráter enigmático da existência humana. Infidelidade, amor, compaixão, eterno retorno, acaso e arbítrio são alguns dos grandes temas que Kundera articula num romance de ideias e paixões, em que o leitor percorre conceitos filosóficos de braços dados com cada um dos personagens - Tereza, Tomas, Sabina e Franz - e acompanha suas histórias de vida com a profundidade de um estudo. O resultado é uma obra em tudo original, um clássico da literatura contemporânea.




Sobre o livro


A história começa em Praga, na República Checa, e em Zurique, na Suiça, na época da invasão Russa na Tchecoslováquia, no ano de 1968, e segue por algumas décadas. Nesse período, vamos acompanhar a trajetória de quatro personagens: Tomas, Tereza, Sabina e Franz.

O foco da narrativa vai estar centrado na vida desses personagens, enquanto eles precisam lidar com questões a respeito da vida, como escolhas, amor, traição, tristeza, entre outras. Além disso, esses e outros aspectos, que permeiam as relações são abordadas sob a dicotomia peso/leveza.

Tudo é vivido pela primeira vez e sem preparação.

Minha opinião


Minha relação com esse livro é engraçada e estranha. Eu já tinha escutado falar dele muitas vezes, mas eram comentários de como o livro era ótimo, nunca sobre o que era o seu tema. Além disso, o livro 1001 livros para ler antes de morrer cita ele como uma leitura essencial. Então, com isso, a curiosidade sempre existiu. Mas, mesmo com todos os elogios feitos, eu nunca imaginei que fosse amar tanto assim essa experiência.


A primeira coisa que quero comentar com vocês é sobre o quão incrível são as personagens. Como o objetivo principal do livro é nos levar a pensar sobre diversos assunto através dos atos delas, essas não podiam ser apresentadas de forma rasa. Então conhecemos os pensamentos e desejos mais profundos dessas quatro personagens.

Tomas é um médico cirurgião, que vai trabalhar como limpador de vidros de janelas depois que é obrigado a abandonar seu consultório em decorrência de uma perseguição política. Mantém encontros com diversas mulheres, nas quais gosta de identificar diferenças corporais, contemplando a beleza dos corpos de suas amantes, mesmo depois de casar com Tereza. Gostei muito de acompanhar sua luta diária contra seus sentimentos em relação a Tereza e o modo como ele via essa relação e a relação com as outras mulheres.

Tereza morou a vida toda em uma cidade pequena no interior e, um tempo depois de conhecer Tomas, decide abandonar sua casa e ir para a cidade do amado. Apaixonada por livros e fotografia é completamente apaixonada pelo marido, a ponto de aceitar as traições dele, contudo sofre muito por isso, inclusive tem pesadelos. A história dessa personagem é a mais triste e a que me levou a maiores reflexões. Além disso, sua relação com sua cachorrinha é cheia de sentimentos e dedicação.

O amor pode nascer de uma simples metáfora.

Sabina é uma artista plástica e uma das amantes de Tomas e depois de Franz também. Vive a vida de uma maneira desapegada e intensa, levanta a bandeira da liberdade e não gosta de estar pressa em relacionamentos. Uma mulher muito forte, em muitos momentos, a crítica ao regime político é feita através das falas dela. 

Franz é professor e tem um casamento infeliz com Marie Claude. Com isso, mente para a esposa que vai viajar a trabalho, mas na verdade vai encontrar-se com sua amante, Sabina. Esse foi o personagem que eu menos gostei, acredito que suas incertezas sobre a vida e o modo como ele conduziu sua crise "existencial" tenham culpa disso.


Milan também trabalha a sexualidade entre os personagens com a dicotomia peso e leveza. Além de mostrar de maneira distinta como os casais lidam com seus próprios corpos. Tereza e Tomás se entregam ao sexo sem pudor e preocupação, vivendo o momento de maneira bela, e leve. Já Sabina, que nem gosta de seu corpo, e Franz, carregam em suas relações o peso de uma traição e de desejos que não querem sentir, sendo assim pesados.

Outro ponto bem forte no livro é o contexto histórico da época. Temos inicialmente a Primavera de Praga, que foi um período de liberalização política na Tchecoslováquia após a Segunda Guerra Mundial, e, após esse período, a invasão da Tchecoslováquia, comandada pela URSS com o objetivo de deter a Primavera de Praga. Essa época é retratado no livro quase como uma guerra, com soldados e tangues aterrorizando os cidadãos pelas ruas da cidade.

Nossa vida cotidiana é bombardeada por acasos, mais exatamente por encontros fortuitos entre as pessoas e os acontecimentos, o que chamamos de coincidências.


A narrativa é dividida em sete partes, que possuem capítulos curtos: A leveza e o peso; A alma e o corpo; As palavras incompreendidas; A alma e o corpo; A leveza e o peso; A grande marcha; O sorriso de Karenin. Para cada uma dessas partes, há um momento diferente da vida das personagens e das cidades Praga e Zurique. A Escrita do Milan é simples, porém carregada de ideias filosóficas que exigem muitas reflexões, por isso a leitura exige atenção, há muita coisa para absorver.

Kundera usa as ideias de Nietzsche e Parmênides (um filósofo bem antigo) para construir o enredo e levar o leitor a uma análise filosófica do que é apresentado. Se esse era o objetivo do autor, ele conseguiu, pois eu pensei muito sobre tudo que era apresentado, fiz muitas considerações sobre o modo como os problemas eram encarados pelas personagens e marquei dezenas de frases profundas e marcantes.

Sendo assim, esse livro fez comigo o que nenhum outro livro até hoje fez: mostrou o peso e a leveza da vida. Num constante diálogo sobre o que nos faz seres humanos, Milan deixa suas apresentações sobre os temas aberta a diversas interpretações do leitor, assim possibilitando várias dicotomias de sentimentos. Um livro que lerei mais vezes durante minha vida, pois tenho certeza que, para cada momento dela em que eu estiver uma nova percepção do livro terei. Amei!

Missão, Tereza, é uma palavra idiota. Eu não tenho missão. Ninguém tem missão. E é um alivio enorme perceber que somos livres, que não temos missão.

9 comentários

  1. Oi.
    Tudo bom?
    Nossa apesar de você ter gostado esse livro está com cara de ser uma dirija infinita.
    Mesmo assim fiquei curiosa e quero ler para tirar minhas próprias conclusões.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem Lê?

    Eu já li outras resenhas sobre esse livro, a maioria super positivas, confesso que tenho vontade de ler e tirar minhas conclusões sobre a "Insustentável leveza do ser", espero conseguir fazer isso esse ano.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?
    É a primeira resenha que leio desse livro e fiquei impressionada. Como um livro pode ser tão completo assim? Tão recheado de coisas e mesmo assim ser uma leitura boa?
    Dica super anotada!!!
    Bjs

    https://blog-myselfhere.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem?
    Eu sempre vejo muitos elogios a essa obra, mas confesso que ainda não tinha batido curiosidade de ler. Acho que era um livro que eu pensava em ler, mas muito futuramente haha.
    No entanto, sua resenha me deixou mais curiosa, especialmente pela descrição dos personagens. Parecem ser muito complexos e bem construídos. Além disso, é um período histórico sobre o qual eu conheço muito superficialmente e acho que deve ser interessante conhecer um pouco mais através da leitura.
    Adorei a resenha e já anotei a dica.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Que resenha gostosa de se ler. :)
    Esse livro parece ser tocante e apaixonante. Já começa pela capa leve e sugestiva. Fiquei igualmente curiosa. Já anotei na minha lista, adorei a resenha e a dica.
    Nizete
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  6. Oie, tudo bem?
    Ainda não havia ouvido falar desse livro ainda, mas achei a capa linda de mais. A sinopse não me interessou muito, mas sua resenha me deixou bem curiosa.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá
    morro de curiosidade para ler o livro justamente por saber que é uma leitura essencial e por ver muitos elogios, adorei sua resenha e adorei suas palavras, me deixaram bem cruiosa e espero poder ter oportunidade de ler o livro em breve

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Eu sou louca pra conhecer a escrita desse autor, "A insustentável leveza do ser" está na minha lista desse ano e quero muito conseguir ler.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  9. Li esse livro quando mais nova pra escola, acho que pela idade que tinha acabei não gostando e não entendendo toda a essência do livro, como dizia minha professora, mas um dia pretendo reler e ver qual vai ser a experiência dessa vez.

    ResponderExcluir

Oi pessoa leitora, fico muito feliz com sua visita. Não esqueça de deixar um comentário me contando o que achou do post e do blog!

Dicas e opiniões são sempre bem-vindas!

Obrigada pela visita e volte SEMPRE!!