Resenha: O Navio Arcano - Robin Hobb

29 julho 2018

Título: O Navio Arcano
Título original: Ship of Magic
Série: Os Mercadores de Navios Vivos #1
Autora: Robin Hobb
Editora: Leya
Ano: 2017
Páginas: 864
Para saber mais: Skoob
Livro recebido em parceria com a editora.
Sinopse: Nesse primeiro volume, O Navio Arcano, Robb faz referências a clássicos como Moby Dick e Mestre dos Mares para conduzir o leitor por uma aventura marítima repleta de magia, contando a história de um orgulhoso grupo de famílias que navega por mares bravios repletos de piratas e serpentes, a bordo do seu protagonista: os seus navios-vivos – embarcações raríssimas e mágicas feitas de madeira-arcana, capazes de adquirir vida própria. Com personagens muito bem caracterizados, tanto física quanto psicologicamente, Robin Hobb tece uma trama envolvente e complexa, que seduz o leitor a cada página.


O Navio Arcano é o primeiro volume da trilogia Os Mercadores de Navios Vivos. O segundo volume, O Navio Insano, e o terceiro, O Navio do Destino, já foram publicados lá nos Estados Unidos. Aqui no Brasil, o segundo livro será lançado ainda este ano.

Sobre o livro

Althea Vestrit é a filha mais nova de uma das famílias de mercadores mais prestigiadas de Vilamonte. Sua família possui um navio-vivo que está prestes a despertar. Feito de madeira arcana, uma madeira dotada de consciência, esse tipo de navio precisa que três gerações da família que tem sua posse morram em seu convés para despertar e se tornar vivo realmente. Mas não é somente isso, um familiar de sangue precisa estar presente na hora do despertar do navio. 

Ephron Vestrit, o capitão da Vivácia e pai de Althea, está muito doente. E por esse motivo deixou Kyle, marido de sua filha mais velha, fazer a última viagem do navio. A caçula, que desde pequena acompanhou Ephron nas viagens, não consegue compreender a decisão do pai em passar o comando do navio a Kyle. Sendo esse o motivo de muitas brigas entre os dois enquanto voltam a Vilamonte.

Enquanto isso, em algum lugar no oceano, Kennit, um pirata capitão do navio Marietta, planeja ter seu próprio navio-vivo e sonha com um futuro grandioso para si. Assim, para alcançar seus objetivos, ele vai recorrer aos seus conhecimentos de pitara e a sua esperteza.


Minha opinião

Eu não tinha grandes expectativas quando peguei esse livro para ler. Contudo, eu imaginava que ia encontrar um mundo muito bem elaborado e uma ótima história de fantasia, pois minha experiência lendo o primeiro livro da trilogia O Aprendiz de Assassino já tinha me mostrado do que a autora Robbin Hobb é capaz. E foi exatamente uma fantasia de primeira, com uma história inovadora e envolvente que eu encontrei.

Eu nunca tinha lido nada com piratas e que se passasse entre oceanos. Gostei muito de tudo que li, aprendi muito sobre navios e sobre tudo que diz respeito à navegação e alto mar. A trama política que cerca toda a história é grandiosa, elaborada e complexa. Em alguns momentos me senti perdida, mas com o tempo tudo foi ficando mais claro. Há um tema muito importante sendo abordado aqui: a escravidão. A autora deixa a discussão muito interessante, fazendo os personagens pensarem sobre os prós e contras em relação a tudo que envolve esse assunto.


O universo criado pela autora é muito grandioso, essa nova série é ambientada no mesmo universo da trilogia A Saga do Assassino. Inclusive durante a leitura o reino dos Seis Ducados é mencionado algumas vezes. O ponto positivo é que não é necessário ler a trilogia anterior para ler essa. As histórias são dependentes uma da outra.

Há um grande número de personagens, o que faz a história ter várias tramas acontecendo ao mesmo tempo. Todos eles são trabalhados de forma completa, consegui me ligar a todos os personagens. Althea é determinada, teimosa e tem uma personalidade muito forte. Em alguns momentos, eu queria que ela pensasse mais no que estava fazendo e conversasse mais com as pessoas envolvidas, pois muitas vezes ela ficava de "birra". O capitão Kennit é extremamente inteligente, ele é o protagonista dos capítulos que eu mais gostei de ler. Os dois são fieis àquilo que acreditam. Meus personagens favoritos são os navios-vivos, todos.


Só minha dor é mais silenciosa do que minha raiva.

A narrativa em terceira tem três diferentes focos: Kennit, Althea e as Serpentes Marinhas, que aparecem poucas vezes, não sabemos qual o objetivo delas, mas sabemos que estão atrás de algo. A escrita de Robbin Hobb é detalhada e lenta, passa uma sensação de pesada em alguns momentos, mas é muito envolvente. São muitos detalhes e muitas situações, tudo de extrema importância para a história.

A leitura de O Navio Arcano cansou-me e surpreendeu-me, primeiro pelo seu tamanho e escrita, segundo pela maneira que a história foi aos poucos me ganhando. Há uma boa dose de drama familiar, aventura e reviravoltas. Após a leitura fiquei curiosa com o destino dos personagens, sendo assim lerei o segundo volume com certeza. Livro perfeito para fãs de fantasia.


Nenhum comentário

Postar um comentário

Oi pessoa leitora, fico muito feliz com sua visita. Não esqueça de deixar um comentário me contando o que achou do post e do blog!

Dicas e opiniões são sempre bem-vindas!

Obrigada pela visita e volte SEMPRE!!