Resenha: Mais Forte que o Sol - Julia Quinn

04 outubro 2018

Título: Mais Forte que o Sol
Título original: Brighter than the sun
Série: Irmãs Lyndon #2
Autora: Julia Quinn
Tradução: Viviane Diniz
Editora: Arqueiro
Ano: 2018
Páginas: 288
Para saber mais: Skoob
Livro recebido em parceria com a editora.
Sinopse: Quando Charles Wycombe, o irresistível conde de Billington, cai de uma árvore – literalmente aos pés de Ellie Lyndon –, nenhum dos dois suspeita que esse encontro atrapalhado possa acabar em casamento. Mas o conde precisa se casar antes de completar 30 anos, do contrário perderá sua fortuna. Ellie, por sua vez, tem que arranjar um marido ou a noiva intrometida e detestável de seu pai escolherá qualquer um para ela. Por isso o moço alto, bonito e galanteador que surge aparentemente do nada em sua vida parece ter caído do céu. Charles e Ellie se entregam, então, a um casamento de conveniência, ela determinada a manter a independência e ele a continuar, na prática, como um homem solteiro. No entanto, a química entre os dois é avassaladora e, enquanto um beijo leva a outro, a dupla improvável descobre que seu casamento não foi tão inconveniente assim, afinal...


Mais Forte que o Sol é o segundo volume da duologia Irmãs Lyndon. Junto com o primeiro volume, Mais Lindo que a Lua (resenha aqui), a saga vai mostrar como duas irmãs, filhas de um reverendo, tem sua vidas transformadas quando algo inesperado acontecesse na vida delas. Mesmo que suas histórias estejam interligadas, os livros podem ler lidos separadamente.

Sobre o livro

Ellie Lyndon está a caminho de casa quando um homem, Charles Wycombe, o conde de Billington, aparentemente bêbado, cai aos seus pés. Levemente assustada, ela resolve ajudar o moço, que reclama de dor no tornozelo. Durante os cuidados de Ellie e a conversa dos dois, passa pela cabeça do conde que essa linda moça possa ser a solução do seu problema.

O Conde está a 15 dias de perder sua herança, pois no testamento de seu pai há uma clausula que diz que o filho só ficará com sua fortuna se casar até completar 30 anos. Libertino de primeira categoria, ele não quer ser obrigado a casar com as interesseiras da alta sociedade. Então ele resolve pedir Ellie em casamento no mesmo momento que a ideia passa pela sua cabeça.

Como Ellie e o pai moram sozinhos, ela é a responsável pelos cuidados da casa. Além disso, há algum tempo ela mantém, sem que ninguém saiba, alguns investimentos financeiros, caso precise de sustento no futuro. A necessidade de resgatar esse dinheiro aparece quando seu pai resolve se casar novamente, e a noiva em questão, a viúva Sra. Foxglove, decide casar Ellie, oferecendo a ela uma lista com alguns solteiros do vilarejo.

Contudo resgatar o dinheiro de seu investimento é mais complicado do que Ellie imaginava, além disso sua irmã está viajando, assim não pode pedir ajuda a ela. É depois disso que Ellie decide aceitar o pedido de Charles, assim em poucos dias depois os dois estão casados. Um casamento de conveniência resolveu a vida dos dois, contudo eles vão enfrentar, juntos, mais situações complicadas do que imaginam. Ah, e eles não escaparão do amor!


Minha opinião

Depois do falatório envolvendo o protagonista do primeiro volume da duologia, as críticas envolvendo esse livro eram mais positivas. Sem falar que eu estava curiosa para saber o destino de Ellie Lyndon. Aqui Julia Quinn apresenta uma história diferente da primeira, divertida e com personagens bem construídos.

Apesar de ter uma proposta diferente na trama, achei o modo como Charles decide ficar com Ellie muito semelhante, logo nas primeiras páginas. Outro ponto que eu gostaria que tivesse sido diferente é o problema envolvendo o casamento do pai de Ellie, acredito que se do tivesse sido introduzido antes de Charles aparecer não ficaria tão forçado a “obrigação” do casamento.

Julia investe em alguns momentos de tensão e suspense, além de colocar um final cheio de aventuras. Gostei muito desses elementos, pois assim a história fugiu um pouco do que já li do gênero até o momento. Com isso, o problema envolvendo o casal não é respectivamente eles não ficarem juntos ou algo do tipo, mas sim o que acontece com eles após eles estarem casados.


O cabelo dela, pensou de repente. O cabelo de Eleanor era da cor exata do sol em sua hora preferia do dia. Seu coração se encheu de inesperada alegria, e ele sorriu.

Ellie é uma mulher muito madura, determinada e inteligente, sem falar que fala o que pensa, tem uma língua afiada. Mesmo não casando por amor, ela toma, sem medo, uma posição de dona da casa, falando com os empregados, indo até a cozinha, fazendo o que acha certo para a organização de seu novo lar. E não podemos esquecer de sua visão sobre dinheiro e investimentos. Charles no começo parece meio seco e rude, contudo é só impressão, pois ele é muito preocupado com o bem-estar de Ellie. Apesar de a atração entre eles ser muito forte, a paixão foi acontecendo de forma gradual, gostei muito que Julia mostra uma preocupação dos personagens em agradar um ao outro.

A escrita de Quinn é, como sempre bastante fluida e envolvente, a história acontece de forma mais rápida no início, mas após o casamento tudo é bem gradual. Charles é viciado em fazer listas, de tudo que é assunto, então no decorrer do livro há várias delas. Foi muito divertido acompanhar os pensamentos do personagem através das listas.

Mais Forte que o Sol é o mais próximo das histórias anteriores que li da autora, e isso é muito positivo, pois mostra como ela evoluiu e se preocupou com a construção da narrativa e dos personagens. Uma leitura super indicada para os fãs Julia Quinn e dos romance de época!

#DESAFIOHISTORICOEEU3



7 comentários

  1. Oi Lê,
    Meu primeiro contato com romance de época foi com a Julia Quinn e depois que li o primeiro livro dela pude entender o porque da autora ser tão bem recomendada. Em se tratando do gênero algumas coisas são difíceis de inovar, mas isso não muda o fato de que a premissa do livro chama bastante atenção. Ellie tem uma mente bem interessante e gostei de ver como ela é inteligente e corajosa, principalmente em relação a finanças. Quando surge a oportunidade de escolher o próprio marido (mesmo que não seja por amor) ela não hesita e aceita o desafio e com ele todos os problemas pós-casamento. Já o Conde certamente trará cenas bem divertidas para a trama começando com seu primeiro encontro com Ellie. O casamento por conveniência pode até ter sido abordado em muitas tramas, mas com o jeitinho da Julia Quinn esse tema tem tudo para ser um sucesso em um romance de época. Adorei que a autora inseriu um pouco de mistério, pois assim a trama ganha um diferencial e, com certeza, fica mais interessante.

    ResponderExcluir
  2. Lê!
    Como sou totalmente encantada com a escrita da autora, quero muito poder ler esse livro.
    E ver que o entrosamento das personagens foi perfeito e diria até idílico, me deixou ainda mais encantada.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  3. Devo admitir que tinha um certo preconceito com relação a autora,por achar que seus romances eram Melosos e cansativos,sempre dizia isso.
    Até que um dia minha amiga insistiu para que lesse Mais lindo que a lua,e me apaixonei pela escrita,narrativa e meio preconceito foi pelo ralo.

    ResponderExcluir
  4. Oi Lê.
    Como eu não gostei muito do primeiro livro, nem quis ler o segundo, apesar de estar curiosa sobre o que aconteceria com Ellie.
    Parece que esse livro é menos controverso que o anterior, mas mesmo assim, não parece ser um bom livro da Julia Quinn.
    A escrita é realmente fluida, mas o desenvolvimento do romance deixa a desejar.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi, Lê!
    Enredo sobre casamento de conveniência é um dos meus preferidos, e com mocinha determinada e com língua afiada igual a Ellie então nem se fala! Então acredito que irei gostar de ler Mais Forte que o Sol! Valeu pela dica! Abraços.

    ResponderExcluir
  6. O enredo desta dualogia não me interessou, nunca li nada da autoria, mas acho que se for começar algum dia não começarei por estes, rs. Mas apesar disso, é interessante ela ter fugido do comum e acrescentado elementos diferentes no final dessa história.

    ResponderExcluir
  7. Eu não sou exatamente uma leitora assídua de romances, mas os de época tem um charme a mais no meu ponto de vista. Eu acho que o enredo construído por Julia aqui tem muitos daqueles elementos clichês de sempre, mas devido ao contexto histórico do livro, eles são aceitáveis e até mesmo esperados. Gostei que a autora escolheu desenvolver sua personagem feminina como uma figura forte e segura, a frente de seu tempo, isso é um ponto muito positivo na minha opinião. Além disso, a forma gradativa a partir da qual nos é apresentada a relação amorosa dos protagonistas torna o enredo mais real ao leitor.

    ResponderExcluir

Oi pessoa leitora, fico muito feliz com sua visita. Não esqueça de deixar um comentário me contando o que achou do post e do blog!

Dicas e opiniões são sempre bem-vindas!

Obrigada pela visita e volte SEMPRE!!