Resenha: Não Confie em Ninguém - Charlie Donlea

25 outubro 2018

Título: Não Confie em Ninguém
Título original: Don't believe it
Autor: Charlie Donlea
Tradução: Carlos Szlak
Editora: Faro Editorial
Ano: 2018
Páginas: 352
Para saber mais: Skoob
Livro recebido em parceria com a editora.
Sinopse: O destino de Grace Sebold toma um rumo inesperado durante uma tranquila viagem com o namorado. O rapaz é assassinado... e ela é condenada pelo crime. Depois de dez anos na prisão, surge a chance de Grace provar sua inocência ao conhecer a cineasta Sidney. Em um documentário que exibe as falhas do processo, a cineasta questiona se a condenação foi fruto de incompetência policial ou se a jovem foi vítima de uma conspiração. Antes do término das filmagens, o clamor popular leva o caso ser reaberto, mas um novo fato provoca uma reviravolta: Sidney recebe uma carta anônima afirmando que ela está sendo enganada pela assassina. A cineasta começa a investigar o passado de Grace e quanto mais se aprofunda na história, mais dúvidas aparecem. No entanto, agora, o que está em jogo não é apenas a repentina fama e carreira, mas sua própria vida.


Sobre o livro

Quando Grace Sebold e o namorado Julian Crist viajam a Santa Lúcia, uma ilha no Caribe, para o casamento de um casal de amigos, Charlotte e Daniel, eles não imaginavam que suas vidas iriam “acabar”. Julian é assassinado e Grace é declarada culpada desse crime, mesmo alegando que não tem nada a ver com o que aconteceu com o namorado. Como o crime aconteceu fora dos Estados Unidos e o local tem suas próprias políticas de julgamento, após declarada culpada, Grace permanece em uma prisão do pais estrangeiro.

10 anos após a prisão da Grace, Sidney Ryan, uma produtora de documentários envolvendo casos de pessoas presas injustamente, decide, depois de muitas cartas Sebold, produzir um documentário mostrando a versão da condenada. A série vai exigir uma nova “investigação" da parte da produtora, que vai conversar com os envolvidos da época, como familiares, amigos, detetives, além de contratar novos especialistas para reverem o caso e as provas da época.

Com isso, a cineasta começa a fazer perguntas e a descobrir furos na investigação. Ao mesmo tempo, seu documentário vai ganhando destaque e chamando a atenção de muitas pessoas, até mesmo do governo dos Estados Unidos. Quando tudo parece se direcionar para o sucesso, uma carta faz Sidney questionar o que tinha descoberto até o momento.


 Minha opinião

Eu vinha da leitura de alguns suspenses medianos, o que estava me chateando muito. Mas eu estava apostando todas as minhas fichas nesse livro, pois no começo do ano, li Deixada Para Trás (resenha aqui), também do autor, e amei a leitura. Por isso, minhas expectavas estavam altas, e, felizmente, Charlie Donlea, mais uma vez, apresentou uma história de suspense incrível!

Neste livro, o mais legal foi ver o documentário que a protagonista estava produzindo. Sidney decidiu que seu público iria acompanhar junto com ela as descobertas do caso envolvendo a morte de Julian Crist. Assim, acompanhar a produtora mexendo em algo antigo e redescobrindo provas foi muito envolvente e angustiante. É claro que formulei mil teorias enquanto acompanhava as revelações, todas as novas informações vão sendo apresentadas conforme Sidney avança com o programa de TV.


Os detetives fizeram exatamente o que eles não são treinados a fazer.de cara me escolheram como suspeita e depois procuraram provas para respaldar sua teoria.


Aqui, mais uma vez, Donlea usa da Medicina Legal, elemento que fez eu me apaixonar pelo livro anterior do autor, para aprofundar a investigação do crime. Com esse elemento, ele traz para a história uma personagem de seu outro livro. Eu adorei rever uma das minhas personagens preferidas em ação novamente.

A escrita de Charlie Donlea é muito fluida e extremamente envolvente, tanto que não consegui largar o livro; a narrativa é feita em terceira pessoa e mostra o ponto de vista de vários personagens, o que deixa a leitura bem agoniante em alguns momentos; os capítulos são focados, ora no presente, ora no passado (no formato do documentário); e, além disso, há 4 trechos nomeados de Deliberação do Júri, nos quais acompanhamos um júri decidindo a sentença, de uma pessoa, contudo só temos a confirmação de quem é no final.


Charlie mostra mais uma vez que sabe construir uma boa personagem. Sidney é o destaque do livro, ela é uma mulher forte, inteligente e determinada, vamos conhecê-la muito bem durante a leitura, além dos momentos que ela produz o documentário. O autor explora muito bem o cotidiano dela e também os problemas fora do trabalho.

Com uma trama ótima e muito bem construída e um final surpreendente, Não Confie em Ninguém foi uma leitura impossível de largar. Charlie Donlea virou um dos meus autores preferidos do gênero. Deixo aqui minha recomendação a todos, principalmente aos que gostam de uma boa investigação.


5 comentários

  1. Oi Lê.
    Também gosto muito de thrillers.
    Ainda não li nada do autor, mas vi ótimas críticas sobre seus livros. Felizmente eu ganhei Não confie em ninguém, mas ainda não o li. Será a minha próxima leitura e eu espero me apaixonar pela história assim como você.
    Adoro quando os livros de investigação policial mistura partes da investigação com Medicina Legal. Como sou da área da Saúde gosto bastante desses detalhes forenses rs
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Ainda não li naa do autor, mas já vi os livros dele por aí. Gosto muito do gênero!
    Gosto de livros que tem muitas reviravoltas, e esse parece ser assim. E adoro também ir "tentando adivinhar" as coisas e soluções.
    Quero ler em breve com certeza, e já vou procurar o Deixa para trás também.

    ResponderExcluir
  3. Oi Lê,
    Charlie Donlea é um dos autores do gênero policial que mais tenho visto boas recomendações, o que só me deixa mais curiosa para acompanhar uma trama pela sua visão cheia de elementos capazes de prender um leitor do começo ao fim. O diferencial dessa trama está na protagonista que não chega a ser uma policial, mas tem tato para lidar com investigações. Isso, com certeza, trás uma narrativa diferente e que vai além de uma simples resolução de um caso. Tenho certeza que eu também formularia muitas teorias durante a leitura, pois o próprio título do livro deixa claro que o enredo e os personagens não são confiáveis. Poder acompanhar um pouco da vida pessoal de Sidney Ryan deve ser interessante, pois ajuda o leitor a formar uma imagem mais concreta da personagem. Mesmo, recentemente, eu tendo lido uma resenha não muito positiva, fiquei curiosa com o enredo de Não confie em Ninguém. Inclusive já tenho A Garota do Lago em mãos (que será meu primeiro contato com o autor) e espero ler em breve.

    ResponderExcluir
  4. Ainda não li nada do autor, embora já ter ouvido falar muito dele. Porém, li algumas críticas negativas sobre este livro, apesar dos outros livros dele serem mais bem falados. Gosto bastante de thrillers, mas este não me interessou, talvez eu busque outro livro dele para ler.

    ResponderExcluir
  5. Não li nada do autor ainda, mas é um dos meus gêneros preferidos e eu achei a premissa do livro muito interessante. Gosto desse clima de tensão permanente e de ir descobrindo as coisas junto da protagonista, acho que isso colabora para o envolvimento do leitor ao longo da narrativa. Além disso, o elemento do documentário que foi inserido pelo autor torna tudo ainda mais interessante e a narração em terceira pessoa nos dá a oportunidade de entender e conhecer mais a fundo as personagens e os acontecimentos. Com certeza quero realizar a leitura e tirar minhas próprias conclusões.

    ResponderExcluir

Oi pessoa leitora, fico muito feliz com sua visita. Não esqueça de deixar um comentário me contando o que achou do post e do blog!

Dicas e opiniões são sempre bem-vindas!

Obrigada pela visita e volte SEMPRE!!