Resenha: Serafina e a Capa Preta - Robert Beatty

29 outubro 2018

Título: Serafina e a Capa Preta
Título original: Serafina and the Black Cloak
Autor: Robert Beatty
Tradução: Maria Carmelita Dias
Série: Serafina #1
Editora: Valentina
Ano: 2018
Páginas: 240
Para saber mais: Skoob
Livro recebido em parceria com a editora.
Sinopse: Serafina nunca teve motivos para desobedecer ao seu pai e se aventurar além da Mansão Biltmore. Há espaço de sobra para ser explorado naquela casa imensa, embora ela precise tomar cuidado para jamais ser vista. Nenhum dos ricaços lá de cima sabe da existência de Serafina; ela e o pai, o responsável pela manutenção das máquinas, moram secretamente no porão desde que a garota se entende por gente. Mas quando as crianças da propriedade começam a desaparecer, somente Serafina sabe quem é o culpado: um homem aterrorizante, vestido com uma capa preta, que espreita pelos corredores de Biltmore à noite. Após ela própria ter conseguido – depois de uma incrível disputa de habilidades – escapar do vilão, Serafina arriscará tudo ao unir forças com Braeden Vanderbilt, o jovem sobrinho dos donos de Biltmore. Braeden e Serafina deverão descobrir a verdadeira identidade do Homem da Capa Preta antes que todas as crianças... A busca de Serafina a levará ao interior da mesma floresta que tanto aprendeu a temer. Lá, descobrirá um esquecido legado de magia, que tem relação com a sua própria origem. Para salvar as crianças, Serafina deverá procurar as respostas que solucionarão o quebra-cabeça do seu passado.



Serafina e a Capa Preta é o primeiro livro da trilogia Serafina. A saga completa já foi publicada nos Estados Unidos, os próximos volumes são: Serafina and the Twisted Staff Serafina and the Splintered Heart.


Sobre o livro

Serafina e o pai, moram no porão da Mansão Biltmore. Ele é o responsável pela manutenção das máquinas da casa, e Serafina é a caçadora oficial de ratos, os dois moram secretamente no porão, inclusive, nenhum dos morados conhece a menina. A vida de Serafina estava muito tranquila até que em uma noite, ela vê um homem com uma capa preta perseguir pelos corredores uma menina, que assim que capturada desapareceu.

Ao narrar o acontecido ao seu pai, ele não acredita. No outro dia, ao sair ara investigar, ela mesma consegue fugir do estranho homem. Com uma vontade enorme de contar aos moradores da casa o que sabe, Serafina sobe um andar da Mansão e encontra, sem querer, Braeden Vanderbilt, o sobrinho dos donos de Biltmore. Uma amizade tem início, e assim eles unirão forças para descobrir a verdadeira identidade do Homem da Capa Preta.



Minha opinião

Eu adoro livros nos quais os personagens principais são crianças. O modo como elas veem o mundo e resolvem seus problemas é cheio de vontade, alegria e inocência. Além disso, os livros infantojuvenis de fantasia são ótimos para uma leitura mais leve.

Aqui, Robert Beatty insere um tom de investigação e suspense na trama, pois serafina e o novo amigo estão dispostos a descobrir quem é o vilão que está sequestrando crianças. Além disso, há um outro mistério envolvendo a própria serafina e a história de seu nascimento. Gostei muito desses elementos, que aliados a escrita simples, leve e envolvente do autor, deixou a leitura muito gostosa e rápida.

Serafina é o destaque do livro, ela é uma menina de apenas 12 anos, muito esperta, inteligente e cheia de coragem. Ela conhece todos os cantinhos da mansão e por isso nunca foi descoberta pelos moradores da casa, inclusive ela enxerga muito bem no escuro. Ela foi criada com muito amor e é visível a preocupação que a pequena tem com seu pai. Eu também adorei a amizade sincera e bonitinha entre ela e o Braeden.

Para construir sua história, o autor se inspirou na verdadeira Mansão Biltmore. Ela fica em Asheville, em Carolina do Norte, e é apresentada aos turistas como a maior casa dos Estados Unidos. A propriedade familiar ficou pronta em 1895, e a trama criada por Robert se passa quatro anos após a inauguração. Além disso, o próprio nome dos Vanderbilt também vem dos verdadeiros donos da Mansão.

Com uma boa dose de mistério, aventura e surpresas, Serafina e a Capa Preta é um ótimo livro de fantasia infantojuvenil. Mesmo fazendo parte de uma trilogia e deixando alguns pontos para serem trabalhados no próximo volume, a trama desse livro tem início, meio e fim. Por isso, é uma ótima dica para quem quer conhecer Serafina, mas não quer ficar na obrigação de ler outros livros. Mas eu garanto, você vai desejar a continuação.

5 comentários

  1. Olá!

    Quando comecei a ler a resenha e vi que era uma trilogia dei uma desanimada! Sabe quando você já tem milhares de trilogias para terminar e comprar o resto? Só quero ler livros únicos por um tempo, rs. Mas gostei de saber que a continuação não é "necessária".
    O Livro parece ser bem interessante, gosto muito de mistérios e suspense. Não sei o motivo, mas sempre acho legal quando a pessoa vive escondida na casa.
    Legal também a curiosidade de que a mansão existe e os primeiros donos também se chamavam Vanderbilt.

    ResponderExcluir
  2. Oi Lê,
    Quase não leio infanto-juvenil, mas adoro receber indicações de livros do gênero. Serafina e a Capa Preta foi muito bem comentado ao ser lançado no Brasil e isso me deixou bem interessada em conhecer esta história. A curiosidade de uma criança é algo tão grande, que as vezes, ela não vê perigo em nada e Serafina vai deixar que a sua prevaleça nesta caçada do tal homem misterioso, o que irá dar início a esta aventura tão promissora. O mistério óbvio é algo de destaque na trama, mas também vi nela elementos de grande importância para a história, como a confidência entre pai e filha e as amizades que irão cruzar o caminho da protagonista. A capa chama atenção e é, certamente, mais um ponto a favor para me fazer ler este livro.

    ResponderExcluir
  3. Oi Lê.
    Gosto bastante de infanto-juvenis, principalmente quando o narrador é uma criança. Também acho o ponto de vista deles incríveis. Às vezes é preciso resgatar a inocência e a força de vontade deles de enfrentar desafios rs
    Quero muito ler esse livro.
    Estou super curiosa para desvendar o mistério sobre Serafina e também da pessoa da capa preta.
    A capa é lindíssima.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Praticamente não leio literatura infanto-juvenil, mas achei uma premissa interessante. Além disso também não sou muito fã de ler séries, rs. Achei bacana que o livro apesar de fazer parte de uma trilogia possa ser lido individualmente.

    ResponderExcluir
  5. Eu confesso que não leio muitos livros infanto-juvenis, mais por falta de oportunidade do que vontade mesmo. Sempre curto muito acompanhar as crianças como personagens importantes dos livro, como tu mesma disse, a visão de mundo delas e a maneira de resolver seus problemas fazem até mesmo a gente mudar nossa percepção. Eu gostei dos fatos históricos que envolvem a construção do enredo e de o autor ter conseguido inserir uma pegada de mistério e investigação à trama, acho que isso deixa o livro ainda mais interessante.

    ResponderExcluir

Oi pessoa leitora, fico muito feliz com sua visita. Não esqueça de deixar um comentário me contando o que achou do post e do blog!

Dicas e opiniões são sempre bem-vindas!

Obrigada pela visita e volte SEMPRE!!