Resenha: Outsider - Stephen King

18 novembro 2018

Título: Outsider
Título original: Outsider
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Ano: 2018
Páginas: 528
Para saber mais: Skoob
Livro recebido em parceria com a editora.
Sinopse: O corpo de um menino de onze anos é encontrado abandonado no parque de Flint City, brutalmente assassinado. Testemunhas e impressões digitais apontam o criminoso como uma das figuras mais conhecidas da cidade — Terry Maitland, treinador da Liga Infantil de beisebol, professor de inglês, casado e pai de duas filhas. O detetive Ralph Anderson não hesita em ordenar uma prisão rápida e bastante pública, fazendo com que em pouco tempo toda a cidade saiba que o Treinador T é o principal suspeito do crime. Maitland tem um álibi, mas Anderson e o promotor público logo têm amostras de DNA para corroborar a acusação. O caso parece resolvido. Mas conforme a investigação se desenrola, a história se transforma em uma montanha-russa, cheia de tensão e suspense. Terry Maitland parece ser uma boa pessoa, mas será que isso não passa de uma máscara? A aterrorizante resposta é o que faz desta uma das histórias mais perturbadoras de Stephen King.



Sobre o livro

O livro conta o mistério de um terrível assassinato de um garoto de onze anos que foi encontrado no parque de Flint City. O principal suspeito é Terry Maitland, uma figura conhecida da cidade e que todos julgavam ser um homem amoroso e correto. Ainda que tenham provas concretas e testemunhas que apontam Terry como o criminoso, ele tem um forte álibi. Conforme a investigação avança o livro se torna uma montanha russa de suspense e tensão e tudo que antes fazia sentido, passa a virar de cabeça para baixo.



Minha opinião

Stephen King ganhou meu coração com o seu livro IT - A Coisa, e a cada novo lançamento meu coração dispara, e não foi diferente com Outsider. Eu nunca fui muito fã de romances policiais, tanto que nem me interessei pela trilogia Bill Hodges quando começou a ser lançado. Mas isso vem mudando de um tempo para cá, quando acabei viciada nessa carreira policial que tanto é narrada nesse tipo de gênero. E acho que pelo fato de ser um romance policial escrito pelo Stephen King, que eu admiro muito, daqui para frente esse gênero vai ser bem mais frequente na minha vida.

A sinopse já nos diz tudo que precisamos saber: houve um crime brutal contra uma criança e tudo aponta que o autor do crime é um cidadão popular na cidade de Flint City, há testemunhas, provas que ligam Terry Maintland à cena do crime e por conta disso, junto com uma revolta, sua prisão é feita da forma mais pública possível. O que os detetives não contavam é com um álibi forte do principal suspeito. Com isso, a investigação acaba virando uma montanha-russa de acontecimentos que forçam os personagens a enfrentar e questionar suas próprias concepções da vida.

O livro é dividido em 12 partes, cada um focado em certo momento crucial da história, e isso ajuda a deixar a narrativa mais rápida, pois nos traz uma sensação de movimento muito maior do que seria se fosse um livro dividido apenas em capítulos. Stephen King não perde sua habilidade de nos prender desde a primeira página, a história é nos contada de forma que sempre deixe algum detalhe fora do nosso alcance, o que nos força a continuar lendo até encaixar todas as peças.

O que mais me chama atenção em Outsider, e que não é exclusivo dele, é o fato de a história em destaque não ser realmente sobre o que o autor quer falar. Assim como IT, onde há essa Coisa terrível que as crianças precisam enfrentar, mas que todo o foco real é amizade deles, Outsider apresenta uma história sobrenatural para contar sobre como é importante não permitir que a gente fique preso em nossa caixinha com todas nossas opiniões e crenças. Às vezes é preciso abrir os olhos para enxergar de fato o que está bem debaixo do nosso nariz.

Quando eliminamos o impossível, o que resta, por mais improvável que pareça, deve ser a verdade.

Com certeza é um livro de tirar o fôlego, e acho que é um bom livro para quem não é acostumado a ler romances policiais e para quem não conhece o autor. Mas é importante lembrar que o livro tem uma pequena ligação com a trilogia Bill Hodges, então se você não gosta de saber de absolutamente nada que possa ser um spoiler, o que eu não sei dizer se é já que não li a trilogia, talvez seja melhor não ler Outsider antes. Eu sou um pouco suspeita para falar já que o tema em si me interessa muito e foi bem prazeroso para mim, mas caso você não ligue, eu recomendo a leitura com toda a certeza.


4 comentários

  1. Oi Aline,
    Eu já tenho uma lista bem grande de livros do King que quero ler, mas isso não me impede de sempre acrescentar mais um toda vez que o autor lança algo novo. Outsider trás uma premissa mais voltada para o lado investigativo do autor, mas com aquela pitada de sobrenatural e, honestamente, é o tipo de trama que mais gosto de acompanhar. Tudo parece apontar para o treinador, tudo óbvio demais, certo e objetivo demais. Nesse ponto já começo a suspeitar de que nem tudo é o que parece e olha que nem li o livro ainda. Não tenho dúvidas de que esse livro trás pontos bem chocantes a começar pelo assassinato de uma criança e como isso atingiu toda a população da cidade. Mesmo que Terry seja o culpado tem tantos outros pontos a serem considerados dentro dessa trama, como as motivações, a família e a própria vítima. Como já tenho o livro em mãos quero começar a leitura logo, só que por não gostar de nenhum tipo de spoiler lerei a trilogia Bill Hodges primeiro.

    ResponderExcluir
  2. Aline!
    Estou aqui totalmente empolgada para poder fazer a leitura.
    Fáantástico Mestre King mistura uma investigação criminal com algo 'sobrenatural', mudando a performance das personagens no decorrer do livro e tornando a leitura intigante e misteriosa, além de trazer curiosidade para chegar ao final.
    Uma semana pleno de luz e paz!
    “Oh, faz-nos felizes, e nos terás feito bons.” (Robert Browning)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA NOVEMBRO - 5 GANHADORES – BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  3. Oi Aline,
    Bem, King é sim o mestre do terror, mas não só dele, percebo a um tempo que o autor vem inovando em sua escrita, e nos entregando um outro lado dele.
    Não poderia faltar um toque sobrenatural... O que mais me incita a ler Outsider, é esse clima todo de dúvidas, o leitor fica tentando adivinhar se Maitland cometeu ou não o crime, e se conheço King, ele consegue embaralhar nossas cabeças.
    É uma obra completa, e vem conquistando todos que leem. Espero ter essa oportunidade em breve.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi, Aline!
    Nunca li nada do Stephen King, mas gosto de romance policial e tenho curiosidade em conhecer a escrita do autor... quem sabe futuramente eu consiga!?
    Em relação a Outsider, fiquei muito curiosa para saber como Terry Maintland é considerado culpado se possui um ótimo álibi, ou será que ele é realmente culpado de ter matado a criança?! Só lendo para saber, não é mesmo?! O que pretendo fazer assim que tiver a oportunidade... Valeu pela dica. Abraços.

    ResponderExcluir

Oi pessoa leitora, fico muito feliz com sua visita. Não esqueça de deixar um comentário me contando o que achou do post e do blog!

Dicas e opiniões são sempre bem-vindas!

Obrigada pela visita e volte SEMPRE!!