Resenha: A Pequena Caixa de Gwendy - Stephen King e Richard Chizmar

22 dezembro 2018

Título: A Pequena caixa de Gwendy
Título original: Gwendy's Button Box
Autores: Stephen King e Richard Chizmar
Tradução: Regiane Winarski
Editora: Suma
Ano: 2018
Páginas: 168
Para saber mais: Skoob
Livro recebido em parceria com a editora.
Sinopse: A pequena cidade de Castle Rock testemunhou alguns eventos estranhos ao longo dos anos, mas existe uma história que nunca foi contada... até agora. Há três caminhos para subir até Castle View a partir da cidade de Castle Rock: pela rodovia 117, pela Estrada Pleasant e pela Escada Suicida. Em todos os dias do verão de 1974, Gwendy Peterson, de doze anos, vai pela escada, que fica presa por parafusos de ferro fortes (ainda que enferrujados pelo tempo) e sobe em ziguezague pela encosta do penhasco. Certo dia, um estranho a chama do alto: “Ei, garota. Vem aqui um pouco. A gente precisa conversar, você e eu”. Em um banco na sombra, perto do caminho de cascalho que leva da escada até o Parque Recreativo de Castle View, há um homem de calça jeans preta, casaco preto e uma camisa branca desabotoada no alto. Na cabeça tem um chapeuzinho preto arrumado. Vai chegar um dia em que Gwendy terá pesadelos com isso.


Sobre o livro

Castle Rock, 1974, Gwendy Peterson, com apenas 12 anos, está acima do peso e por isso está sofrendo Bullying no colégio. Por esse motivo, ela resolveu fazer exercícios, e assim todos os dias ela sobe correndo a Escadaria Suicida, que existe na praça da cidade. Até que um dia um misterioso homem de chapéu, que se apresenta como Richard Farris, chama-a para uma conversa, e ela mesmo que com medo e desconfiada vai. Ele diz que ela é muito especial e oferece a menina uma caixa cheia de botões, que ela deve cuidar todos os dias. Richard explica a ela a função de cada botão e mostra uma alavanca que faz com que animais de chocolate saiam de uma gavetinha, ela pode comer um desses por dia.

A partir do momento em que Gwendy leva a caixa para casa sua vida começa a mudar para melhor. Contudo ter sob sua responsabilidade esse objeto não será sua melhor decisão. O poder e as consequências dessa escolha podem ser mais maiores do que ela imagina.


Minha opinião

Depois que comecei a ler livros do Stephen king, sempre que tem um lançamento de livro do autor eu fico com vontade de ler. Comecei essa leitura sem saber sobre a história, e por isso não tinha expectativas, o que foi muito bom, pois A Pequena Caixa de Gwendy é um livro OK.

Sthephen king e Richard Chizmar construíram uma história sobre o poder das escolhas, aqui um grande poder está na mão de uma única pessoa. O objetivo da caixa e ao mesmo tempo claro e misterioso, eu gostei muito da aura de incerteza que ronda a caixa, pois tudo que acontece passa a impressão de ser por causa dela. Mas isso nunca fica totalmente claro, vemos a melhora na vida da protagonista e chegamos à conclusão de que foram os chocolates que influenciaram nessa melhora.


Gwendy é uma personagem muito interessante e para mim ela mostra dois lados bem característicos e diferentes das meninas americanas. Primeiro ela é uma gordinha que sofre nas mãos de meninos malvados da escola e depois vira a líder de torcida que todo mundo acha maravilhosa. Contudo o modo como ela vai de uma para a outra é lento, mesmo que na narrativa tenha alguns saltos de tempo. O que mais me chamou a atenção nela foi a sua preocupação com o esconderijo da caixa, pois ela passa o tempo pensando nela, além disso gostei muito do terror que toma conta de Gwendy sempre que algo ameaça a caixa. Além disso, ela tem um medo intrínseco do resultado que apertar nos botões pode ter. Para mim é esse poder que a caixa tem sobre a protagonista que move a história.


A relação de amizade de Gwendy com sua melhor amiga é um dos temas trabalhados, é tudo muito sutil em um primeiro momento. Contudo no final da narrativa consegui ver um panorama geral de como a relação das duas foi retratada durante toda a história. Castle Rock é o cenário de outros livros de King, como Cujo e A zona morta, obras que ainda não li, mas aqui o cenário da cidade não e muito trabalhado como imagino que seja nas outras histórias. Por isso a cidade em si não fez diferença para mim.

A narrativa em terceira pessoa apresenta um narrador intruso muito interessante, pois ele faz observações e revela o futuro antes que esse apareça para o leitor. Vamos acompanhar a passagem de anos na vida da protagonista e ver a evolução de sua vida, que melhora graças a caixa. Há alguns saltos de tempo, contudo tudo que precisamos saber está presente.

A Pequena Caixa de Gwendy é uma novela super rápida para ler, que apresenta um história fluida e simples, mas que fala em suas entrelinhas. O poder de ter tudo que se quer com apenas um botão é o começo de uma discussão que fala sobre responsabilidade, escolhas, consequências e comportamento humano.


3 comentários

  1. Oi Lê,
    Por ser uma obra que envolva o Stephen King, as expectativas, mesmo que não se queira, são altas, pois o nome do autor carrega um peso enorme. Não tenho muita experiência com obras do autor, mas o fato de ele trabalhar em parceria é o que mais me chama atenção nessa obra. Criar um enredo rodeado de mistérios é algo esperado de King, mas são os elementos que vão além que chamam atenção. A começar por uma protagonista com problemas que muitas jovens tem que enfrentar. O encontro de Gwendy com Richard é estranho e dá um nervoso de imaginar uma menina indo em encontro a alguém desconhecido e mais ainda de ver que ela aceita e se aproxima do tal. A fragilidade de Gwendy tem um papel muito importante para o início dessa história, pois são suas inseguranças e o bullying sofrido que a levam pelo caminho da Escadaria Suicida e, consequentemente, ao encontro de seu destino. Com certeza, A Pequena caixa de Gwendy, é um livro que tem muito a ser explorado pelo leitor, pois transita pelo mistério e fantasia e permeia por meios reais e importantes a respeito das escolhas da personagem. Não conhecia este livro, mas é um indicação bem vinda e uma oportunidade de ter mais contato com o King e conhecer a escrita de Richard Chizmar.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Lê!
    Não havia visto nada relacionado a este livro ainda. O que mais me surpreende é a quantidade de páginas, um livro curto é o que mais ando precisando nesta correria do dia a dia.
    Estou que nem você, não posso ver nada do Stephen King que já fico querendo ter/ler kkkk

    Bjosss...

    ResponderExcluir
  3. Eu Fiquei impressionada com o fato de como autora conseguem desenvolver também uma história tão complexa então pouquinho as páginas e eu não sabia que o autor do livro era o Stephen King e esse Já me deixou com muita vontade de ler o livro

    ResponderExcluir

Oi pessoa leitora, fico muito feliz com sua visita. Não esqueça de deixar um comentário me contando o que achou do post e do blog!

Dicas e opiniões são sempre bem-vindas!

Obrigada pela visita e volte SEMPRE!!