A Traidora do Trono - Alwyn Hamilton

14 janeiro 2019

Título: A Traidora do Trono
Título original: Traitor To The Throne
Série: A Rebelde do Deserto #2
Autora: Alwyn Hamilton
Editora: Seguinte
Ano: 2017
Páginas: 440
Para saber mais: Skoob
Livro recebido em parceria com a editora.
Sinopse: Amani Al’Hiza mal pôde acreditar quando finalmente conseguiu fugir de sua cidade natal, montada num cavalo mágico junto com Jin, um forasteiro misterioso. Depois de pouco tempo, porém, sua maior preocupação deixou de ser a própria liberdade- a garota descobriu ter muito mais poder do que imaginava e acabou se juntando à rebelião, que quer livrar o país inteiro do domínio do sultão. Em meio às perigosas batalhas ao lado dos rebeldes, Amani é traída quando menos espera e se vê prisioneira no palácio. Enquanto pensa em um jeito de escapar, ela começa a espionar o sultão. Mas quanto mais tempo passa ali, mais Amani questiona se o governante de fato é o vilão que todos acreditam.

*Essa resenha contém spoilers do livro anterior

A Traidora do Trono é o segundo livro da trilogia A Rebelde do Deserto. A série que inicia com A Rebelde do Deserto (resenha aqui) e encera com A Heroína da Alvorada já está completa no Brasil. A trilogia também conta com um e-book de contos, Contos de Areia e Mar.

Sobre o livro

Seis meses se passaram desde os últimos acontecimentos, agora parte da rebelião e peça fundamental dentro dos planos do príncipe rebelde, Amani tenta lidar com seu novo poder, filha um djinni, ela é uma demdji que controla areia. No acampamento rebelde, ela está sempre disposta a ajudar e a fazer parte das missões, mas quando é deixada longe de Jin, o desconforto e a raiva tomam conta dela.

Mas o inesperado acontece, e Amani é traída por uma pessoa totalmente inesperada. Com isso, ela vai parar dentro do palácio como prisioneira do Sultão. Enquanto tenta descobrir os planos do sultão e fugir do palácio, Amani aos poucos descobre um lado mais humano no líder do país. Assim, aos poucos ela vai questionando os motivos de todos os envolvidos na rebelião.



Minha opinião

Comecei a ler a traidora no trono com as expectativas lá no céu, felizmente elas foram mais do que superadas. A continuação de A Rebelde do Deserto evolui sua trama, mantém um ritmo envolvente de leitura e surpreende com muitas revelações inesperadas. Sendo assim não tinha como eu não amar esse livro.

O destaque do segundo volume é sem dúvidas a trama política, que é muito bem trabalhada. A autora mostra o está acontecendo de todos os lados, e isso é muito positivo, pois compreendemos melhor os objetivos de todos os envolvidos. É incrível ver a grandiosidade que a história ganhou, entramos de cabeça em tudo que está sendo apresentado, que esquecemos de Amani, e nos envolvemos na rebelião como parte dela. Uma coisa que você precisa saber é que a autora não tem medo de fazer o leitor sofrer, surpreendendo quando a gente menos espera. Quase morri do coração, principalmente no final.


Teríamos que bolar um plano no meio da correria. Como sempre fazíamos. Éramos bons nisso.



Alwyn Hamilton mostrou que sabe desenvolver muito bem seus personagens. Amani aprendeu muito de um livro para outro, senti ela mais centrada e mais madura. Gosto muito de todas as decisões que ela toma, mesmo quando questionei algumas e fiquei surpresa com outras. Jin não é muito o foco desse segundo volume, inclusive ficamos algum tempo sem vê-lo em cena, então o romance que eu esperada tanto ver aqui também fica meio de lado.

Contudo sua falta é compensada com a entrada de novos personagens, que não estão só de passagem, todos têm histórias aprofundadas e são importantes dentro dos acontecimentos. Outro ponto fortíssimo na narrativa são as personagens femininas, aqui elas são poderosas e fortes ao natural, nada de ficar provando a quão boa elas são. O destaque é Shazad, que muito mais que uma general, torna-se a melhor amiga de Amani, a relação delas é necessária e muito bonita. Ela foi aos poucos ganhando meu coração.

Gente que final, que livro! Eu fiquei absolutamente enlouquecida lendo as últimas páginas e fechei o livro querendo comer a heroína da alvorada no mesmo instante. A Traidora do Trono é uma excelente continuação, que me deixou imersa na leitura o tempo todo! O terceiro livro tem tudo para ser uma grande conclusão!

4 comentários

  1. Oi Lê,
    Este livro vem para mostrar que o papel de Amani é mais profundo do que se poderia imaginar. As descobertas sobre ela mesma são uma parte muito importante desse livro e isso vem acrescido de um amadurecimento da mesma. E as descobertas não se resumem só a protagonista, pelo jeito a trama toda tem muito a revelar sobre planos e outros personagens. Não ter um romance nesse tipo de trama é até bom, pois permite ao leitor ver outros elementos que merecem total atenção. Nem sempre um autor consegue manter um bom ritmo na sequência, mas Alwyn Hamilton sabe o que está fazendo e isso só me deixa mais curiosa para ler a trilogia.

    ResponderExcluir
  2. Eu só li a Rebelde do deserto. Ainda não tive coragem de continuar com o 2º livro. Acho que é porque li já tem um bom tempo o primeiro e não lembro muito da história.
    Que bom que gostou da continuação! É tão bom assim ;)

    ResponderExcluir
  3. Ai que bom saber que esse não passou pela síndrome do segundo livro. É bem assim, o primeiro livro é sempre excelente e o segundo deprime. Mas aqui não aconteceu isso e me dá muita vontade de ler. Além disso acho linda essas capas. Simples mas encantadoras.

    ResponderExcluir
  4. Eu acho que foi esse livro que foi mostrado a real importância da protagonista na história e na vida dos outros personagens e para mim foi o melhor livro da trilogia

    ResponderExcluir

Oi pessoa leitora, fico muito feliz com sua visita. Não esqueça de deixar um comentário me contando o que achou do post e do blog!

Dicas e opiniões são sempre bem-vindas!

Obrigada pela visita e volte SEMPRE!!