Tolos e Mortais - Bernard Cornwell

20 janeiro 2019

Título: Tolos e Mortais
Título original: Fools and Mortals
Autor: Bernard Cornwell
Tradução: José Roberto O'Shea
Editora: Record
Ano: 2018
Páginas: 364
Para saber mais: Skoob
Livro recebido em parceria com a editora.
Sinopse: No coração da Inglaterra elisabetana, o jovem e atraente Richard Shakespeare sonha em fazer carreira na cena teatral de Londres, um universo dominado por seu irmão mais velho, o ilustre dramaturgo William Shakespeare. Mas Richard não tem um tostão nem apoio de seu irmão, que, em vez de o acolher, entrega-o aos cuidados de Sir. Godfrey, um clérigo cruel e pervertido que treina meninos para furtar e encenar. Com um rostinho bonito, carisma e talento, Richard ingressa na companhia de teatro de Shakespeare, representando, muito a contragosto, papéis femininos. A relação dos irmãos, no entanto, é marcada por constante tensão, e, cada vez mais distantes, à medida que William alcança a fama, Richard se vê tentado a romper em definitivo a lealdade fraternal. Então, quando um precioso manuscrito desaparece misteriosamente, as suspeitas recaem, evidentemente, sobre o caçula. Preso em um perigoso esquema de traição e desonestidade, Richard, sem saída, com sua carreira e até mesmo a vida de seus colegas em jogo, embarca em uma aventura épica na excitante ― porém traiçoeira ― Londres elisabetana para resgatar os valiosos escritos e reconquistar a confiança da trupe.



 Sobre o livro

Richard Shakespeare é um ator de teatro na trupe de Lorde Husndon, junto com o resto do grupo e de seu irmão que escreve as peças, William Shakespeare, eles se apresentam no Theatre. Em uma época em que mais teatros rivais estão surgindo e que há uma perseguição vinda dos puristas contra os teatros, os atores do Theatre são convocados a apresentar uma peça no casamento de uma família nobre.

Mas Richard não está satisfeito de como as coisas estão indo, já que ele só faz papéis femininos e não ganha o dinheiro necessário para viver, por isso ele praticamente vive de favor e furta sempre que tem oportunidade. William, contra sua vontade, precisa parar de escrever a peça que ele estava antes e começa a escrever outra para o casamento, a qual ele nomearia mais tarde Sonho de uma Noite de Verão. Richard pede para seu irmão que o dê um papel masculino para ele, mas William já tinha isso em mente e acaba dando o papel que Richard tanto queria, apesar dos irmãos não se gostando e tendo atritos entre si.

Os preparativos para o casamento começam, e os atores precisam ir ao casarão da família nobre para ensaiar, lá Richard tem a oportunidade de ver Silvia, uma moça a qual ele se apaixona. Mais tarde, Richard descobre a verdade sobre seu personagem na peça e se sente traído pelo irmão, então vai até um teatro novo que estão construindo. Lá recebe uma proposta de abandonar o Theatre para ganhar mais e ter papéis masculinos, porém para isso, Richard deveria trair seu grupo roubando as peças de seu irmão. Com isso, a dúvida toma conta dele e ele precisará tomar uma decisão sobre o que fazer.

Minha opinião

Sou um grande fã de Bernard Cornwell, e por isso não pude perder a oportunidade de ler sua nova obra, que por ser diferente da maioria de seus livros, eu terei que pecar e inevitavelmente compará-lo com seus outros livros. Já que em Tolos e Mortais, ao invés de termos grandes batalhas, guerras, paredes de escudos e muita violência, temos teatro!

O livro aborda fatos históricos com fictícios, e faz muito bem, pois me deixou imerso na época apresentada, e muito disso é graças a narrativa e a naturalidade dos diálogos. A narrativa é em primeira pessoa, na visão de Richard, que te deixa ciente muito bem do que está acontecendo, tanto dizendo coisas que ficou sabendo depois ou que percebeu quanto casualmente comentando fatos históricos de sua época. Isso é um truque que Cornwell usa para deixar o leitor ciente sobre comportamentos e o jeito que as pessoas viviam em um certo período.

- Senhor, como são tolos esses mortais!

Os personagens secundários não são muito construídos, apesar de haver uma distinção de personalidade bem visível entre eles. Eu diria que muito disso vem do próprio Richard, que acaba dando mais ênfase a quem afeta ele diretamente, o resto só restam comentários e diálogos e só receberam uma descrição muito genérica de como eles se parecem.

- "Não, pela minha fé”- falei- “Não me peçam para fazer papel de mulher!"

Cornwell retrata muito bem e sempre traz a questão de religião em seus livros, e neste novo capítulo histórico da Inglaterra, ele deu lugar ao protestantismo, e junto com ele foi retratado a perseguição dos protestantes contra os católicos. Contudo, em Tolos e Mortais, a questão religiosa foi bem mais fraca do que normalmente é em seus livros e só foi ganhar um pouco de importância no final.

Uma coisa que eu gostei foi que as ações que os personagens fizeram só teve importância entre eles, pois em Tolos e Mortais não temos um povo invasor vindo saquear e conquistar um reino ou um rei precisando de ajuda para ganhar um batalha. Ao invés disso, há um grupo tentando salvar seu teatro, e isso é uma luta que se mostrou tão digna quanto qualquer outra.

Tolos e Mortais é recomendando para todos que gostam de romance histórico ou de Bernard Cornwell. E para aqueles que se interessam pelo autor, mas não gostam muito de guerras e batalhas, Tolos e Mortais pode ser uma boa alternativa.



4 comentários

  1. Oi Wesley,
    Para ser honesta, não sei nada sobre William Shakespeare, exceto os títulos de algumas de suas obras (as quais nunca li). Mas isso não significa que não tenho curiosidade sobre sua vida, pois o nome é tão conhecido que sinto-me quase na obrigação de ter algum conhecimento sobre ele. Bernard Cornwell propõe um enredo bem diferente e nos dá uma visão sobre Shakespeare que eu não esperaria. Conhecer o autor através dos olhos de seu irmão é bem interessante, pois fica claro o quanto Richard admira seu irmão mais velho, mas a relação é conturbada e passa por muitas provações. Richard quer ter a oportunidade de mostrar que pode mais, mas fica difícil quando não recebe o apoio de quem ele mais precisa. Essa parte dá história me passa veracidade, pois consigo visualizar esse cenário. Mas o mais interessante está nos outros elementos que envolvem o enredo como o teatro e a Londres Elisabetana, pois aí temos fatos reais misturados com os fictícios. Nunca li nada do Cornwell, que também é um nome que já ouvi bastante por causa de outras obras e mesmo que não tenha tido muita curiosidade em lê-las, Tolos e Mortais, realmente, chamou minha atenção.

    ResponderExcluir
  2. Soube que além de realmente ter existido Richard Shakespeare, há também uma nova representação do caráter do grande William S. Isso com certeza já desperta a curiosidade de leitor, fora o fato de Bernard Cornwell ser um autor de qualidade.

    ResponderExcluir
  3. A capa do livro me chamaria a atenção na livraria e me faria comprar, mas ao ler a resenha e saber a premissa da história, eu confesso ter me decepcionado.
    Não é o estilo de livro que eu leria, pois não tenho o mínimo interesse na história dos Shakespeare. rs

    ResponderExcluir
  4. Eu adorei a escrita e universo desse autor desde que eu li as crônicas saxônicas e fiquei completamente apaixonada pelo Bernard então não vou cheia de expectativas nesse novo lançamento dele que eu sei que não vai decepcionar

    ResponderExcluir

Oi pessoa leitora, fico muito feliz com sua visita. Não esqueça de deixar um comentário me contando o que achou do post e do blog!

Dicas e opiniões são sempre bem-vindas!

Obrigada pela visita e volte SEMPRE!!