Querido Mundo - Bana Alabed

11 fevereiro 2019

Título: Querido Mundo
Autora: Bana Alabad
Editora: Best Seller
Ano: 2018
Páginas: 160
Para saber mais: Skoob
Livro recebido em parceria com a editora.
Sinopse: Aos 3 anos de idade, Bana Alabed tinha uma infância feliz que foi interrompida abruptamente por uma guerra civil. Durante os quatro anos seguintes, Bana viveu em meio a bombardeios, destruição e medo. Sua provação angustiante culminou em um cerco brutal em que ela, seus pais e os dois irmãos mais novos ficaram presos em Aleppo, com pouco acesso a comida, água, medicamentos e outras necessidades básicas. Com o potencial revolucionário da Internet, Bana, em um gesto simples, mas inédito, usou o Twitter para pedir paz e mobilizar pessoas ao redor do mundo pelo mesmo intuito. 



Eu gosto muito de livros sobre a Segunda Guerra Mundial, contudo nunca tinha lido nada que falasse ou mostrasse a realidade de outras guerras. Por isso fiquei muito curiosa quando recebi Querido Mundo, o livro vai mostrar a cruel realidade da Guerra da Síria pelos olhos de uma criança. Bana Alabed morava em em Alepo com sua família e tinha apenas 3 anos quando a guerra civil começou. A menina ficou famosa através do Twitter, onde narrava a dura realidade de o seu dia a dia, mostrando como a guerra estava acabando com seu país e com centenas de vidas inocentes.

Eu fiquei impressionada com tudo que li. Eu via as notícias sobre a Síria nos jornais, mas nunca fiquei impactada da maneira que fiquei lendo o livro. Bana não poupa o leitor e mostra como é horrível viver na incerteza da guerra. Muitas vezes, durante a leitura, eu parei para digerir o que estava lendo.


A narrativa do livro é feita em primeira pessoa por Bana, que narra o dia a dia dela e da família, além de contar algumas de suas lembranças de quando o mundo dela não era bombardeado dia sim, dia não. Além disso, há algumas cartas escritas pela mãe dela, nelas encontramos lembranças de quando Bana era um bebê e de como foi viver como mãe nesse período. É muito triste ver o relato dela, pois suas preocupações me tocaram muito. O livro também possui alguns dos posts feito pela menina no Twitter e fotos dela numa Alepo destruída.


Vamos acompanhar o início da guerra e os primeiros impactos dela na vida da família de Bana e de outras famílias vizinhas. É impressionante ver os dias passando e a rotina mudando, as preocupações chegando e os bombardeios e a violência aumentando. Fiquei muito assustada em ver como as crianças reagiam a tudo, elas precisaram se adaptar a fome, a falta de luz e água, a incerteza se iriam viver outro dia. Eu fiquei muito impressionada lendo, pois eu tenho uma filha pequena e imaginei ela naquela situação. Por isso cada momento de aflição e medo que Bana passava meu coração se apertava.

Bana é uma menina incrível. Ela se mostrou muito sensata para uma criança tão pequena, acredito eu que seja efeito da guerra, pois ela teve que compreender cedo demais o que estava acontecendo em seu país. Sua família é muito especial, eles são unidos e muito corajosos, gostei muito de ver o modo como os país de Bana tranquilizavam a todos sobre o que estava acontecendo. Mesmo quando tudo parecia um horror, a esperança deles não acabava.

Querido Mundo é um livro que mostra o horror de uma guerra que dura até hoje, mas fala principalmente sobre a força das pessoas que estão no meio dela. A realidade desumana de uma criança que não deveria estar falando de guerra, mas sim de felicidade e amor. 



4 comentários

  1. Oi Lê, poxa, eu diferente de você já não gosto muito de ler sobre guerras, pois me deixam muito depressiva. Mas achei interessante ser sobre a guerra na Síria, pois normalmente é sempre sobre a segunda guerra mundial.

    ResponderExcluir
  2. Essas histórias baseadas em fatos reais nos deixam surpresos, ainda mais quando são contadas por crianças, pois sentimos na pele o sofrimento delas. As guerras destroem muitos lares e deixam muitos traumas,por isso a cada passo, torcemos pelas famílias e finalmente,para terem paz!!

    ResponderExcluir
  3. Também gosto muito de livros sobre guerra, mas geralmente eles são sobre a Segunda Guerra.
    Fico realmente sentida com o que essas crianças passam nessas guerras. Os mais inocentes e os que são mais atingidos.
    Quero ler esse livro mas sei que vou chorar demais durante a leitura.

    ResponderExcluir
  4. Oi Lê,
    Sempre que alguém falava em relatos sobre a guerra através de um livro, minha única referência era O Diário de Anne Frank, mas ela não foi a única a passar por isso. Existiram e existem muitas outras crianças e jovens que viveram a sua maior parte da vida em meio a bombardeios e perderam tudo. Claro que nem todas conseguiram escapar e puderam contar sua história. Fui ouvir o nome de Bana pela primeira vez quando este livro foi publicado e sua história me impressionou muito. Nem imagino como seja crescer em meio a guerra, principalmente quando se é criança. Dói muito ver a inocência ser interrompida por causa da estupidez e egoísmo dos adultos e dói mais ainda não ser capaz de mudar isso.

    ResponderExcluir

Oi pessoa leitora, fico muito feliz com sua visita. Não esqueça de deixar um comentário me contando o que achou do post e do blog!

Dicas e opiniões são sempre bem-vindas!

Obrigada pela visita e volte SEMPRE!!